Hiroshi Bogéa On line
Post de 

5 Comentários

  1. .

    29 de julho de 2009 - 21:58 - 21:58
    Reply

    Brilhante.
    Mas talvez ele não saiba que o grunido do twitter é, na maioria dos casos, apenas para chamar atenção para coisas mais complexas, que podem ir de blogs a artidos cientificos.
    Basta ser um "grunido" com link.

  2. Anonymous

    29 de julho de 2009 - 18:12 - 18:12
    Reply

    hahahaha, mas que foi uma tirada muito boa isso foi

  3. Hiroshi Bogéa

    29 de julho de 2009 - 11:50 - 11:50
    Reply

    Querido Alencar, seu comentário, em verdade, é um post. Já tá lá. Na ribalta, como imortalizou aquele espaço – nosso eterno Juva. Abs

  4. Adir Castro

    29 de julho de 2009 - 01:22 - 1:22
    Reply

    Uma grande verdade.

    Nada contra a tecnologia e ao que é novo e possa otimizar a vida da gente. Só não podemos é esquecer de quem somos.

    Com essa grafia usada na rede mundial de computadores, daqui a pouco ninguém sabe mais escrever sequer o próprio nome completo.

  5. JOSÉ DE ALENCAR

    29 de julho de 2009 - 01:07 - 1:07
    Reply

    Meu caro Hiroshi.

    É sempre bom prestar atenção no que dizem pessoas como Saramago.
    No caso, ele é exatamente o contrário, com seus infindáveis parágrafos.
    Mas talvez ele não saiba que muitos dos que estão no Twitter também escrevem bons textos – como você faz aqui todos os dias – e não descerão ao grunhido só por isso.
    Mas não deixa de ser preocupante essa novilíngua que domina certos escaninhos da Web e das comunicações por telefones celulares.
    Mas esse é um problema pré-existente. Antes havia a novilíngua dos surfistas, por exemplo, com seu escasso vocabulário de umas poucas dezenas de palavras. Suficientes para a comunicação entre os da mesma tribo. Só.
    Mas Saramago não ignora a força comunicativa e a beleza de um haikai.
    Penso que há espaço para coisas boas – e até para a sabedoria – tanto na prolixidade saramaguiana quanto na concisão e minimalismo milloriano (nosso grande mestre do haikai).
    E quem grunhir na web, grunhiria de todo modo fora dela.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *