Fazendas do Grupo Zucatelli inovam casando sistemas de produção Lavoura-Pecuária e Floresta

Publicado em 17 de julho de 2021

As propriedades da RR Agropecuária, empresa de agronegócio do Grupo Zucatelli, estão se tornando, também, referência no Estado do Pará na aplicação de estratégia de produção que integra diferentes sistemas produtivos, agrícolas, pecuários e florestais dentro de uma mesma área.

Já é uma realidade, na Fazenda Sororó, localizada a 50 km de Marabá,  esse revolucionário conceito.

Conhecido também como  ILPF, abreviação de Integração-Lavoura-Pecuária-Floresta , a forma de sistema integrado busca otimizar o uso da terra, elevando os patamares de produtividade, diversificando a produção e gerando produtos de qualidade.

Uma das principais consequências benéficas do  ILPF é que seu desenvolvimento em propriedade rural reduz a pressão sobre a abertura de novas áreas, podendo ser feito em cultivo consorciado,  de forma que haja benefício mútuo para todas as atividades.

Na Fazenda Sororó, extensas áreas de reflorestamento estão fazendo renascer florestas (fotos abaixo) em lugares antes descampados, bem como lavouras  de milho e outros grãos em meio ao ambiente  de uma pecuária tecnologicamente das mais evoluídas do país.

Já é sabido que o Grupo Zucatelli desenvolve uma das mais modernas estruturas de produção de gado no país, através do uso de tecnologias genéticas devidamente comprovadas no resultado final do gado disponibilizado no mercado.

Reinaldo Zucatelli, presidente do conglomerado econômico, com sua visão inovadora de estar sempre à frente de seu tempo, não ficou focado somente no desenvolvimento dos produtos de suas fazendas.

Sua empresa RR Agropecuária investe muito na transformação de suas propriedades, nos últimos anos dedicando-se à implantação do sistema ILPF, abordando uma perspectiva econômica e sustentável da produção agropecuária.

E o que levou Zucatelli a disponibilizar muitos recursos na implementação do ILPF?

 

-“ O Brasil possui a capacidade de aumentar exponencialmente a oferta de alimentos, porém temos a responsabilidade de fazer isso sem aumentar proporcionalmente a abertura de novas áreas e sem causar grande impacto ao meio ambiente. Nosso grande desafio está em continuar a aumentar a produtividade das nossas lavouras e também na recuperação de áreas degradadas pela pecuária. O sistema ILPF está sendo considerado inovador e solução com alto potencial na recuperação de áreas degradadas e, assim, na supressão de desmatamento de novas áreas para o uso na agropecuária”, explica o empresário.

 

O desenvolvimento da lavoura na Fazenda Sororó tem apresentado, a cada ano, aumento substancial de sua produção, sempre com o uso de maquinários avançados, mas preservando espaços para o emprego de mão de obra regional.

Grandes áreas de plantio de milho e outros grãos agora fazem parte da geografia da Fazenda Sororó. Máquinas colhendo grãos e caminhões carregados de milho (fotos abaixo) são cenários marcantes no dia a dia da  fazenda, em meio a cabeças de gado e imensas áreas de reflorestamento.

 

– “Não há dúvida que o agronegócio brasileiro é reconhecido como a maior força da nossa economia, além disso, é visto pelo mundo como um grande celeiro da produção de alimentos e esperança para alimentar a crescente população mundial nas próximas décadas. Somos observados atentamente pela comunidade internacional não só por “quanto” podemos oferecer, mas também por “como” iremos fornecer esses produtos de forma eficiente e sustentável. A demanda crescente por alimentos, bioenergia e produtos florestais, em contraposição à necessidade de redução de desmatamento e mitigação da emissão de gases de efeito estufa, requer soluções que permitam incentivar o desenvolvimento socioeconômico, sem comprometer a sustentabilidade dos recursos naturais”, explica Zucatelli, satisfeito com os resultados dos investimentos feitos até agora na aplicação do sistema  ILPF.

Mais áreas sendo mecanizadas para plantio de grãos…….

 

… Enquanto o rebanho de primeiríssima qualidade convive pacificamente em meio a lavoura e reflorestamento.

Reinaldo conta que, anos atrás, tão logo passou a compreender os problemas ligados ao manejo incorreto dos recursos disponíveis na propriedade, passou a pesquisar e a investir na diversificação da sua linha de produção nas fazendas, chegando à conclusão que o sistema ILPF poderia oferecer solução eficaz no gerenciamento correto de sua linha de produção. Segundo ele, a saída é a aplicação de tecnologias conservacionistas, que geram inúmeros benefícios ao produtor, aparecendo, também, nesse sentido, como solução na recuperação de áreas degradadas pela pecuária, trazendo uma nova perspectiva a essas áreas antes improdutivas.