Fantasmas à espreita

Publicado em 20 de janeiro de 2011

Falta contar mais um pouquinho desse lance da retirada do nome do advogado Marcos Eiró, inicialmente anunciado para dirigir a Cohab, por indicação do deputado Alessandro Novelino (PMN).

O ex-futuro  presidente da Companhia de Habitação do Pará ficou meio que assim apavorado com os nomes da diretoria do órgão, negociado para servir ao PMN de porteira fechada, todos indicados pelo deputado estadual.

Marcos e o próprio governador Simão Jatene (PSDB) tomaram sonrisal quando viram a relação.

Novelino não estava indicando técnicos nem gente potencialmente aproveitável no órgão.

A lista de diretores mais parecia uma catrevagem.

Deu arrepios em Jatene e no ex-futuro.

Daí, a recusa de nomeá-los, e a decisão de Novelino declinar a indicação de novos nomes.

Dizem que o governador se livrou de gente buliçosa que só lhe traria encrencas.