Faixa de Pedestres – a vida pede passagem

Publicado em 21 de janeiro de 2008

No Repórter 70 de hoje (21) :

Dono de carro particular que transita diariamente pela nova Duque concorda em gênero, número e grau com nota aqui publicada na sexta-feira passada, sobre a sugestão para que se instalem semáforos que poderão ser acionados pelos próprios pedestres, nos locais onde existe a faixa cidadão. Com isso, o trânsito poderá fluir melhor e serão evitadas freadas bruscas e batidas na traseira.

Com todo o respeito à idéia do escriba, então qual o sentido educativo da faixa cidadão?
Em todos os lugares onde foi implantada, inclusive Marabá, está funcionando.
De início, ocorreram todos esses problemas (“freadas bruscas e batidas na traseira”), mas com o tempo foram sendo corrigidos por motoristas e pelos próprios pedestres.

Semáforos em faixa cidadão, é a antítese do foco que se pretende dar ao exercício de cidadania.

O máximo que se poderia alterar na configuração do espaço é a iluminação com luzes amarelas nos postes voltadas para a calçada e para a via, com o objetivo de melhorar a visualização do pedestre pelo motorista e vice-versa. Este padrão foi adotado em Brasília, onde a faixa de pedestre é plenamente respeitada.

A iluminação das faixas possibilita maior segurança para todos, reduzindo o número de acidentes nos locais implantados.

O que deveria ser feito agora é uma campanha educativa sobre o respeito à faixa.

De resto, pedestre e motoristas se entenderão com o tempo.