Fábrica de crimes

Publicado em 7 de janeiro de 2008

O primeiro assassinato já ocorreu, na chamada invasão da “Área da Coca-Cola”. Outros estão por vir.

A onda de invasões urbanas a tirar o sossego de proprietários e autoridades de Marabá é o maior negócio de especulação que se tem noticia na cidade, comandada por grileiros, jagunços e quadrilhas de malfeitores atreladas entre si até seus negócios pessoais serem atingidos. No meio do banzeiro brabo, o povo pobre sem-teto, usado, sempre, como instrumento de articulação das bandalheiras.

O careta que mataram na tal Área da Coca-Cola era um especulador a serviço de terceiros, rifado do processo por outros especuladores prepostos de quartos e quintos financiadores das invasões.

Pena dessa turma, quem há de ter?