Hiroshi Bogéa On line

Expatriação sem efeito

Luiz Carlos Monteiro, presidente do Grupo Cosipar, sempre foi refugado pela sociedade de Marabá. Inclusive, pelos próprios colegas do setor guseiro e empresários em geral.

Contribuíram para isso, a postura imperial do industrial e a aplicação de recursos em empreendimentos fora do Estado do Pará.

Ao longo de mais de 20 anos da empresa instalada no município, Luiz Carlos é um estranho no ninho. Era.

Semana passada, a pena de degredo foi encerrada pela Câmara Municipal: Luiz Carlos Monteiro é o mais novo Cidadão Marabaense.

Post de 

3 Comentários

  1. Hiroshi Bogéa

    3 de maio de 2008 - 20:54 - 20:54
    Reply

    Irmãozinho, Ademir, estamos distantes um do outro, aqui na Folha 17, apenas por 100 metros. Que tal a gente pelo menos se ver aos finais de semana? Cacete, está demais esse isolamento nosso, careta!

  2. Quaradouro

    2 de maio de 2008 - 18:45 - 18:45
    Reply

    Somos marabaenses, você e eu, e me envergonho da degradação que há anos atinge a Câmara e sua prática de conferir título de cidadania a qualquer um. No caso do predador, não se pode esquecer que ele foi um dos financiadores de campanha de parte da horda que ocupa o “palacetezinho” Augusto Dias.
    Isso explica.

  3. Anonymous

    2 de maio de 2008 - 14:25 - 14:25
    Reply

    O Luiz Carlos pediu ao Miguelito para receber este titulo afim de tentar junto ao Governo do Estado sair do ostracismo em que se encontra.
    Benemérito de que? Trabalho escravo ou devastacao ambiental.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *