Hiroshi Bogéa On line

Exorcizando pesadelos

Há quase 40 anos, a BR-222 (antiga PA-70) atende populações do Sudeste do Pará, ligando comunidades a Belém-Brasília. No período, muitas mortes foram registradas por acidentes de veículos ocorridos durante a passagem de onze pontes de madeira, construídas precariamente na extensão de seus 220 quilômetros.

Desde ontem, com a inauguração de cinco delas pela governadora Ana Júlia, acidentes e assaltos se tornarão mais difíceis nos pontos onde centenas de pessoas perderam vidas.

Até o final de maio, outras três pontes de concreto serão liberadas.

Aos poucos, pontes de madeira estão sendo substituídas por obras de concreto, nas BR-222 e PA-150, demandas históricas finalmente saneadas.

Quem mora nas regiões Nordeste, Sudeste e Sul do Pará sabe medir a importância das citadas obras, para a segurança de motoristas.

Post de 

3 Comentários

  1. Hiroshi Bogéa

    19 de fevereiro de 2010 - 18:20 - 18:20
    Reply

    14:31, onde é que eu digo aí que a malha rodoviária "está uma maravilha"? Lê direito, ó, maquetrefe, antes de fazer insinuações. O teu problema deve ser político, essencialmente político, ao desconhecer o trabalho que o governo estadual desenvolveu em Brasília, nos últimos dois anos, para que o governo federal liberasse os rescursos para a construção das pontes de concrerto na BR-222. Ademais, as pontes de concreto em construção nas rodovias Pa-150 e BR257 (Pebas-Eldorado) são recursos dos governos federal e estadual.

  2. Anonymous

    19 de fevereiro de 2010 - 17:31 - 17:31
    Reply

    Hiroshi, vale lembrar que essas obras são do Governo Federal e não existe um centavo do Governo Estadual. Portanto são obras do Lula e não da Ana Julia que esteve lá pura e simplismente pra angariar votos pra ela e pro Puty.
    Outra coisa, a malha rodoviária do Estado não está essa maravilha toda como vc diz que está. Algumas rodovias estaduais que antes eram trafegáveis, hoje encontram-se abandonadas, cheias de mato e buracos. Tem muita propaganda do governo dizendo que asfaltou não sei quantos mil quilômetros de estradas mas não dizem onde e aonde, ou seja quais municípios foram beneficiados. Isso é popaganda enganosa assim como aquela que diz que o governo cuida das pessoas.

  3. Anonymous

    19 de fevereiro de 2010 - 16:39 - 16:39
    Reply

    As pontes de concreto significam muito em melhoria,mas a estrada é antiga e perigozíssima,curvas em aclive e declive e muito sinuosas. Todo cuidado é pouco,e viajar à noite,só em extrema urgencia. É um recado de quem sabe o que tá falando.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *