Exorcizando pesadelos

Há quase 40 anos, a BR-222 (antiga PA-70) atende populações do Sudeste do Pará, ligando comunidades a Belém-Brasília. No período, muitas mortes foram registradas por acidentes de veículos ocorridos durante a passagem de onze pontes de madeira, construídas precariamente na extensão de seus 220 quilômetros.

Desde ontem, com a inauguração de cinco delas pela governadora Ana Júlia, acidentes e assaltos se tornarão mais difíceis nos pontos onde centenas de pessoas perderam vidas.

Até o final de maio, outras três pontes de concreto serão liberadas.

Aos poucos, pontes de madeira estão sendo substituídas por obras de concreto, nas BR-222 e PA-150, demandas históricas finalmente saneadas.

Quem mora nas regiões Nordeste, Sudeste e Sul do Pará sabe medir a importância das citadas obras, para a segurança de motoristas.