Jovem faz duras críticas ao Maranhão e pode ser processada por xenofobia

Publicado em 2 de março de 2015

 

 

10994045_1012554638774675_615269815337449486_n_1

Babaquice de uma jovem alienada pode lhe render processo por crime de  xenofobia, que vem a ser definida como prática, indução ou incitação de preconceito de raça, cor, etnia e religião.

O crime está previsto no artigo 20 da Lei nº 7716/89, com pena de reclusão, que pode variar de 1 a 3 anos e multa. Se for cometido por intermédio dos meios de comunicação, como pela internet, a pena pode ser agravada de 2 a 5 anos e multa, conforme o parágrafo 2º da mesma Lei.

Ação foi aberta esta manha, 2, pelo Ministério Público de Imperatriz  contra uma gaúcha identificada como Isabela Cardoso, de 24 anos

Ao retornar ao seu estado de origem, Rio Grande do Sul, a jovem postou nas redes sociais comentários que  vêm causando revolta .

Na publicação feita no Facebook, a mulher critica os hábitos e a cultura do Maranhão.

Ela morava em Imperatriz, segunda maior cidade do Estado, e seria esposa de um funcionário da empresa Suzano Papel e Celulose.

Post da moça alvo da Ação Civil diz o seguinte:

“Finalmente em casa, depois de 1 ano e 7 meses na SUSANO de Imperatriz eu e meu esposo retornamos a nossa cidade. Estado pobre kkkkkkkkk. A cultura maranhense é horrível, o carnaval é um lixo ‘Tal de bomba meu boi (sic), tambor de crioula’. A maioria das mulheres são piriguetes e os Homens malandros. Mais da metade das pessoas são semi-analfabetos (sic) #AmoMinhaCidade #Gramado RS”, critica Isabela.

A Suzano Papel desmente a moça, em nota oficial divulgada esta manhã, afirmando que seu suposto marido não trabalhouy na empresa.

 

“Em relação a post publicado em rede social no último domingo (01), no qual uma suposta ex-funcionária da Suzano Papel e Celulose fez comentários desrespeitosos à cultura maranhense e à cidade de Imperatriz (MA), a Suzano esclarece que tal pessoa nunca fez parte do quadro de colaboradores da empresa, mas que, independentemente disso, a empresa repudia tal comportamento.

A Suzano ainda afirma que está plenamente satisfeita em estar presente no Maranhão e só tem a agradecer ao povo maranhense pela forma como foi acolhida.

A empresa se coloca à disposição para colaborar com quaisquer investigações que se façam necessárias e reforça que os usuários de mídias sociais são pessoalmente e integralmente responsáveis pelo conteúdo de seus posts”.