Entre vestígios & vertigens

Publicado em 15 de março de 2012

 

 

Ela reside em Brasília: é jornalista, poetisa e escritora.

Dois livros polêmicos lançados: Operação Araguaia e Sem Vestígios.

O primeiro, Taís o transformou num extraordinário esforço de jornalismo investigativo – e muita pesquisa, entre militares e civis, sobre a Guerrilha do Araguaia.

A segunda obra narra  a morte do líder comunista David Capistrano, torturado e morto nos porões da ditadura, pendurado em ganchos num açougue humano que havia em Petrópolis.

No meio do caminho, um representante dos torturadores, que é acordado no meio da noite, para ser levado para assistir aos últimos momentos de David. O  agente denominado “Carioca” , ao ver a cena do rapaz aos pedaços -,  “tem engulhos, o estômago se revolve, mas, ao lado dele, outro agente ri cinicamente: o inimigo derrotado já não serve para nada e precisa ser descartado – sem deixar Vestígios”.

Diante de Carioca, o corpo de David: “espedaçado, pendurado em ganchos, uma costela aqui, uma perna ali, pingando sangue”.

Taís deixa essa contribuição à História do Brasil, com duas obras de pesquisa reveladoras dos chamados anos de chumbo

Nos encanta, também, com sua poesia recheada de sedução.

No Dia do Poeta, eis como  a  moça nos agracia:

 

Pelo dia da Poesia…

Eu só tenho a oferecer-te minha boca,
Minhas letras em fragmentos,
Meus deslizes e meus acertos.

Amor em qualidade,
Saudades em quantidade.

Tudo o que tenho a te oferecer é
A Poesia que sou.

 

 

Nota do Blog: Sim, a poesia é ela.

Como os nossos leitores  têm bom gosto – e gostarão de estar agora sempre na companhia de Taís Morais, o blog dela já está lincado na lista ao lado.