Entre balas e caras, o som

Publicado em 26 de agosto de 2007

Quando o invisível sonho se esvai, chamo-te pelo antinome.
Nesta noite de sábado que se vai, enquanto a saudade consome.