Empresário José Francisco Diamantino não resiste, e morre em Goiânia

Publicado em 7 de setembro de 2013

 

 

 

O empresário José Francisco Diamantino, 63 anos,  presidente do Grupo Revemar, acaba de falecer, no hospital Santa Mônica, em Goiânia.

Ele não resistiu às 72 horas que seguiram a cirurgia  realizada na madrugada de  sexta-feira.

A morte de Diamantino ocorreu por volta de meio-dia deste sábado.

Mais tarde, o blog volta a  atualizar mais informações.

 

—————–

Atualização às 13:35

 

O corpo de José Diamantino deverá chegar a Marabá  no final da noite deste sábado, e será velado no Santuário de Nazaré, na Folha 16.

A esposa do empresário, Ivanilda Diamantino, conseguiu chegar ao Brasil, de viagem que fazia a Croácia, na manhã deste sábado, chegando ainda a tempo de ver o esposo, com vida, na UTI do hospital.

Ao lado dos filhos Winston, Priscila e Patrícia, a viúva acompanha procedimentos técnicos para a liberação do corpo, em Goiânia.

Como se considerava “marabaense de coração”, tanto que dificilmente o empresário passava muito tempo fora da cidade, Diamantino será enterrado no lugar que ele escolheu para tocar seus grandes negócios e viver ao lado da  família e dos amigos.

Diamantino, embora considerado hoje um dos maiores empresários do Estado, devendo estar incluído na relação dos dez  mais bem sucedidos, era uma pessoa simples, que gostava do bom bate papo e de jogar dominó com seus amigos mais antigos, na Cidade Nova.

À noite, o lazer do empresário era ficar sentado  à porta da casa de amigos, jogando conversa fora e disputando partidas do jogo preferido.

Dono de um conglomerado de empresas que em 2012 faturou R$ 1,3 bilhão, Francisco Diamantino não ostentava, vivia na simplicidade de hábitos e dos amigos que preservava desde quando chegou a Marabá, no início dos anos 80.

Ao lado de Leonildo Rocha, falecido em de 3 de julho último, Diamantino era considerado o maior empresário de Marabá.