Hiroshi Bogéa On line

Empresa Limpus tem acesso interditado por dar calote em terceirizada

 

Portão principal da Limpus interditado: calote revolta pequena empresa de Marabá
Interditado Portão principal da Limpus: calote revolta pequena empresa de Marabá

O portão de acesso e saída da Limpus, empresa que realiza serviços de coleta de lixo de Marabá, está bloqueado desde  as 5 horas da manhã desta segunda-feira, 30.

Com a interdição do portão, a empresa ficou com suas máquinas retidas no pátio interno de estacionamento, impossibilitada de realizar o recolhimento de lixo da cidade.

O bloqueio está sendo realizado por uma empresa terceirizada, contratada desde o tempo da Estre, antecessora da Limpus.

O calote da Limpus é da ordem de 450 mil, conforme relata Willian Nobre, gerente de operações da Engemab.

“Meses atrás, essa empresa abateu valor insignificante do total da dívida, referente ao mês de janeiro de 2015. Ainda nos deve o montante de R$ 450 mil referente aos serviços que realizamos nos meses de fevereiro, março, abril e maio de 2015. E é bom que se diga que a Prefeitura vem pagando a Limpus, só que ela não demonstra nenhum interesse em quitar o que nos deve”, diz Wilian.

Explica o gerente que a decisão de bloquear o portão principal da Limpus objetiva denuncia-lá à opinião pública, e mostrar às autoridades a necessidade de algo ser feito para que as pequenas empresas de Marabá não sofram mais calote de empresas que vêm ganhar dinheiro no município, colocando em insolvência os trabalhadores marabaenses.

“Ficamos em situação de dificuldades para pagar salários de nossos trabalhadores e fornecedores, com o nome da empresa exposto desnecessariamente devido a irresponsabilidade dessas firmas que aportam na região apenas com interesse de ganhar dinheiro, quebrando seus parceiros”, desabafa, revoltado, Willian.

Post de 

3 Comentários

  1. edurdo

    31 de maio de 2016 - 08:22 - 8:22
    Reply

    Uma curiosidade em relacao essa empresa e, o fato de sua (garagem) patio de estacionamento ser em um local proximo de residencias mesmo assim e mantido ali uma especie de deposito de lixo, em grande quantidade, onde se acumula o lixo coletados nas ruas, e depois é embarcados em outros caminhoes pra destinar-se ao aterro sanitario, certo dia estive la e vi uma viatura da semma os fiscais viram o grande entulho de lixo que aparentava esta ali a muito tempo, pois estava drenando chorume de um um odor insuportavel, dai nao vi uma so nota da semma em relacao a esse fato. Ainda o que é pior continua a pratica… perguntei a um colaborador da limpus sobre aquela pratica o mesmo disse que era consequencia de falta de equipamentos, porisso tinha que se desdobrar pra tentar tirar o maximo de lixo possivel das ruas, fica a minha duvida, nao teria no contrato desta empresa com a prefeitura uma cláusula onde se obriga a frota de caminhoes e maquinas suficiente para a demanda da cidade? podendo haver a rescisão do contrato? onde ando na cidade vejo lixo nas ruas… questiono a cultura da sociedade em criar grandes pontos de lixos em esquinas da cidade, mais, ao mesmo tempo acho que é insuportavel manter lixo em suas residencias com caes e gatos rasgando sacolas e espalhando pelas ruas, nao que isso justifique o descarte de lixos nas ruas.

  2. rui

    30 de maio de 2016 - 17:59 - 17:59
    Reply

    Mais um tema relevante par ao debate eleitoral. O próximo prefeito tem que assumir compromissos baseado em planejamento sério.

  3. Sandro

    30 de maio de 2016 - 12:23 - 12:23
    Reply

    Boa tarde, sobre essa empresa limpus além de não fazer o serviço de boa qualidade, vem deixando a desejar em relação aos pagamentos dos serviços prestados de terceiros , eles recebem e não pagam os terceirizados. A prefeitura vem fazendo seus pagamentos para a empresa limpus, mas a limpus não paga o que deve. Caloteiros……..

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *