Empresa Limpus tem acesso interditado por dar calote em terceirizada

Publicado em 30 de maio de 2016

 

Portão principal da Limpus interditado: calote revolta pequena empresa de Marabá
Interditado Portão principal da Limpus: calote revolta pequena empresa de Marabá

O portão de acesso e saída da Limpus, empresa que realiza serviços de coleta de lixo de Marabá, está bloqueado desde  as 5 horas da manhã desta segunda-feira, 30.

Com a interdição do portão, a empresa ficou com suas máquinas retidas no pátio interno de estacionamento, impossibilitada de realizar o recolhimento de lixo da cidade.

O bloqueio está sendo realizado por uma empresa terceirizada, contratada desde o tempo da Estre, antecessora da Limpus.

O calote da Limpus é da ordem de 450 mil, conforme relata Willian Nobre, gerente de operações da Engemab.

“Meses atrás, essa empresa abateu valor insignificante do total da dívida, referente ao mês de janeiro de 2015. Ainda nos deve o montante de R$ 450 mil referente aos serviços que realizamos nos meses de fevereiro, março, abril e maio de 2015. E é bom que se diga que a Prefeitura vem pagando a Limpus, só que ela não demonstra nenhum interesse em quitar o que nos deve”, diz Wilian.

Explica o gerente que a decisão de bloquear o portão principal da Limpus objetiva denuncia-lá à opinião pública, e mostrar às autoridades a necessidade de algo ser feito para que as pequenas empresas de Marabá não sofram mais calote de empresas que vêm ganhar dinheiro no município, colocando em insolvência os trabalhadores marabaenses.

“Ficamos em situação de dificuldades para pagar salários de nossos trabalhadores e fornecedores, com o nome da empresa exposto desnecessariamente devido a irresponsabilidade dessas firmas que aportam na região apenas com interesse de ganhar dinheiro, quebrando seus parceiros”, desabafa, revoltado, Willian.