Emater inaugura sede própria em Ourilândia

Publicado em 10 de dezembro de 2014

 

Quem informa é  repórter Kenny Teixeira Fonseca:

 

No município de Ourilândia do Norte, no sul do Pará, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) inaugurou, na última terça-feira (09), sede própria. Após 20 anos de atividades, sempre em prédios e estabelecimentos emprestados pela prefeitura, essa é a primeira vez que a Emater pode oferecer mais qualidade e conforto aos agricultores familiares atendidos, que na maioria são pecuaristas leiteiros.

O prédio próprio da Emater possui 70m², espaço que comporta duas salas técnicas, despensa, copa, dois banheiros e recepção. Ao todo são quatro técnicos na Emater, sendo dois técnicos em agropecuária e dois engenheiros agrônomos, para o atendimento médio de 400 famílias de atividades rurais.

Na solenidade de inauguração, que contou com a presença de autoridades locais, o presidente da Emater o engenheiro agrônomo Humberto Balbi Reale Filho elogiou o trabalho realizado e que esse novo escritório servirá de modelo para a região. “Construímos esse prédio com recurso prórpio, pois vimos a necessidade de oferecer um espaço adequado tanto para o extensionista rural quanto para o nosso público beneficiário”, ressaltou.

Para o chefe local da Emater, o técnico em agropecuária Flávio Eloi, foi primordial o empenho desta gestão para solucionar os problemas com as instalações físicas da Empresa. “Antes, por último, tínhamos três salas pequenas em um galpão de madeira cedido pela prefeitura, mas já nos mudamos inúmeras vezes. Ter esse prédio, um local nosso, com certeza será um salto na qualidade do nosso atendimento”, disse.

O escritório local, que está situado na Rua Paraíba, S/N, no bairro Novo Horizonte, será um ponto positivo para completar o atendimento das 60 famílias, das comunidades Calça Amarela, Quatro Barracos e Picadão, que estão sendo trabalhadas na Chamada Pública do leite, do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), para potencializar a pecuária leiteira na região. “Nós já completamos o diagnóstico participativo e estamos executando agora o levantamento socioeconômico das famílias”, finalizou o chefe local da Emater.