Hiroshi Bogéa On line

Em nome das pessoas

O Ministério Público voltou a defender, nas audiências públicas realizadas em Marituba e Ananindeua, a devolução do projeto de construção da hidrelétrica de Barcarena para a Companhia Vale do Rio Doce refazer os estudos baseando-se na realidade local e viabilizando métodos menos prejudiciais, tanto ao meio ambiente quanto a aspectos socioeconômicos. O promotor Raimundo Moraes sugeriu estudos de instalação de uma usina eólica, ressaltando que a usina de carvão, além de poluidora, é uma obra ultrapassada do século XIX.
Não queremos cinzas, gases e muito menos gessos. Queremos dignidade para a região amazônica“, acrescentou o promotor.
A Promotora Eliane Moreira ratificou que a CVRD apresenta um projeto devastador para a sociedade e para o meio ambiente, além de algumas irregularidades. “É impossível viabilizar a construção da hidrelétrica com o planejamento apresentado. O nosso dever, enquanto Ministério Público, é defender a sociedade, e por isso digo que é preciso devolver os estudos atuais para a elaboração de novos“, disse.
Defendendo o empreendimento, que representa um investimento de US$ 500 milhões, a CVRD aponta 11 programas ambientais que deverão monitorar, acompanhar e controlar os 52 impactos identificados. Dentro desse controle, a empresa prevê a utilização de dois equipamentos de alta eficiência no controle ambiental, que são o dessulfurizador, que ajuda a diminuir a emissão de gases na atmosfera, e o carvão mineral da Colômbia ou de Moçambique, que possui baixo teor de enxofre.

Post de 

4 Comentários

  1. Hiroshi Bogéa

    24 de setembro de 2007 - 02:21 - 2:21
    Reply

    Grande Guedes de Guedes, minha saudação. Com abraços.

  2. Anonymous

    24 de setembro de 2007 - 00:18 - 0:18
    Reply

    estás coberto de razão, amigo hiroshi. a dupla é boa. um abraço, do seu amigo.
    guedes

  3. Hiroshi Bogéa

    23 de setembro de 2007 - 21:46 - 21:46
    Reply

    Tenho acompanhado de perto a andança de Raimundo Moraes e de Eliane Moreira nessas audiências públicas. Os dois promotores simbolizam, atualmente, o que a sociedade anseia. E merecem nosso amplo apoio.

  4. Anonymous

    23 de setembro de 2007 - 20:03 - 20:03
    Reply

    Finalmente uma autoridade com olhar mais sensível as demandas da comunidade e não compromissada com o poder de uma empresa que representa um poder paralelo no Pará. Só espero que a CVRD , como sempre faz, não use de sua força em Brasília para manipular , afastar do caminho aqueles que representam uma pedra. A Vale tem essa prática.

Leave a Reply to Hiroshi Bogéa

Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *