Em Marabá, apenas DS apoia tese de candidatura própria do PT

Publicado em 16 de setembro de 2013

 

No debate realizado final de semana em Marabá, entre as tendências do Partido dos Trabalhadores que disputam a presidência da legenda, apenas representantes da Democracia Socialista (DS) defenderam  vigorosamente  a tese de lançamento de candidatura própria ao Governo do Estado.

As demais, de forma clara, vincularam o futuro da eleição estadual ao projeto de reeleição da presidente Dilma Roussef, defendendo o nome de Helder Barbalho como cabeça de chapa majoritária.

O vice-prefeito de Marabá, Luiz Carlos Pies, do PT Pra Valer, dependeu explicitamente apoio a Helder desde o primeiro turno.

Estavam presentes, de lideranças estaduais, Paulo Rocha (Unidade na Luta), Beto Faro (AS),  Zé Geraldo (PT Pra Valer) e Claudio Puty (DS).

Ressalte-se:  as três tendências que direcionam movimentos favoráveis à chapa Helder (governador) e Paulo Rocha (Senado)  integram o chamado Campo Majoritário, liderado no país pelo  ex-presidente Lula e Dilma Roussef.

Na visão do deputado Zé Geraldo, embora sinalize apoio a Helder, o ideal seria o PT esperar até o mês de fevereiro, para decidir o rumo a tomar na eleição estadual.

Durante debates, um dos candidatos à presidente do PT municipal, Marcelo Alves, aplicou saia justa nas lideranças estaduais, ao questionar posicionamento do deputado Miriquinho Batista de apoio à candidatura vitoriosa de Sancler Ferreira, prefeito de Tucuruí, para a Amat – em detrimento da união em torno do nome de João Salame, prefeito de Marabá.

Abertamente, Miriquinho Batista trabalhou junto aos prefeitos pedindo votos para Sancler.

A intervenção de Marcelo causou constrangimento entre os petistas, provocando mudança de rotas, com a colocação de panos quentes,  a fim de que a questão não fosse debatida à profusão.

Marcelo Alves declara abertamente que Miriquinho foi “um traidor”.

Quem se posicionou de forma clássica a respeito do questionamento foi a deputada estadual, ao assumir compromisso de levar a denúncia de Marcelo à Executiva Estadual do PT.

A presidência do PT estadual está sendo disputada pelas candidaturas de Ze Geraldo (PTPV), Milton  Zimmer (AS) Marquinhos Oliveira (UL) e Cláudio Puty (AS)

Em Marabá, a executiva municipal  é disputada pela deputada estadual Bernadete ten Caten (PTPV), vereadora Toninha (AS) e Marcelo Alves (DS).