Em Marabá, apenas DS apoia tese de candidatura própria do PT

 

No debate realizado final de semana em Marabá, entre as tendências do Partido dos Trabalhadores que disputam a presidência da legenda, apenas representantes da Democracia Socialista (DS) defenderam  vigorosamente  a tese de lançamento de candidatura própria ao Governo do Estado.

As demais, de forma clara, vincularam o futuro da eleição estadual ao projeto de reeleição da presidente Dilma Roussef, defendendo o nome de Helder Barbalho como cabeça de chapa majoritária.

O vice-prefeito de Marabá, Luiz Carlos Pies, do PT Pra Valer, dependeu explicitamente apoio a Helder desde o primeiro turno.

Estavam presentes, de lideranças estaduais, Paulo Rocha (Unidade na Luta), Beto Faro (AS),  Zé Geraldo (PT Pra Valer) e Claudio Puty (DS).

Ressalte-se:  as três tendências que direcionam movimentos favoráveis à chapa Helder (governador) e Paulo Rocha (Senado)  integram o chamado Campo Majoritário, liderado no país pelo  ex-presidente Lula e Dilma Roussef.

Na visão do deputado Zé Geraldo, embora sinalize apoio a Helder, o ideal seria o PT esperar até o mês de fevereiro, para decidir o rumo a tomar na eleição estadual.

Durante debates, um dos candidatos à presidente do PT municipal, Marcelo Alves, aplicou saia justa nas lideranças estaduais, ao questionar posicionamento do deputado Miriquinho Batista de apoio à candidatura vitoriosa de Sancler Ferreira, prefeito de Tucuruí, para a Amat – em detrimento da união em torno do nome de João Salame, prefeito de Marabá.

Abertamente, Miriquinho Batista trabalhou junto aos prefeitos pedindo votos para Sancler.

A intervenção de Marcelo causou constrangimento entre os petistas, provocando mudança de rotas, com a colocação de panos quentes,  a fim de que a questão não fosse debatida à profusão.

Marcelo Alves declara abertamente que Miriquinho foi “um traidor”.

Quem se posicionou de forma clássica a respeito do questionamento foi a deputada estadual, ao assumir compromisso de levar a denúncia de Marcelo à Executiva Estadual do PT.

A presidência do PT estadual está sendo disputada pelas candidaturas de Ze Geraldo (PTPV), Milton  Zimmer (AS) Marquinhos Oliveira (UL) e Cláudio Puty (AS)

Em Marabá, a executiva municipal  é disputada pela deputada estadual Bernadete ten Caten (PTPV), vereadora Toninha (AS) e Marcelo Alves (DS).