Hiroshi Bogéa On line

Eleição 2018: quem deverá disputar vagas à Assembleia Legislativa e Câmara Federal

Pouco antes de um ano para as eleições de 2018, já se pode constatar a movimentação de alguns personagens interessados, segundo pessoas próximas deles, na disputa de cargos proporcionais.

Provavelmente, em Marabá, sairão candidatos a deputado federal,  Beto Salame (PP), buscando a reeleição, o vice-prefeito Toni Cunha (REDE) e João Chamon (PMDB), atual deputado estadual, em dobradinha com seu filho, Wenderson Chamon (PMDB), que já está em pré-campanha objetivando uma vaga à Assembleia Legislativa.

Pelo que o blog apurou, o vice-prefeito de Marabá deverá ajudar o partido a eleger uma bancada, tanto na AL quanto na Câmara Federal.

Pode até ser que ele, Toni Cunha, dispute cadeira a AL, dependendo da estratégia eleitoral a ser montada pelo partido de Marina Silva, que virá disputando a Presidência da República, outra vez.

A candidatura de João Chamon a deputado federal dependerá muito dos acordos que seu filho, Chamonzinho, fará  na tentativa de sacramentar uma vaga no parlamento estadual.

Pode até ser que Chamon, pai, não dispute nenhum cargo.

É quase certa a recandidatura de Dirceu ten Caten (PT).

No momento, no sul e sudeste do Pará, o Partido dos Trabalhadores não tem nenhum nome com a intensidade eleitoral de Dirceu.

Trabalhando intensamente desde quando ganhou o diploma na AL, Ten Caten é um nome quase certo à retornar ao  cargo, em janeiro de 2019.

O ex-secretário de Educação de Marabá,  Pedro Sousa (PSL), tem sido incentivado  também a encarar a disputa. Consultado pelo blogueiro, Pedro disse que é muito cedo para trat do assunto, mas que “não se furtará a brigar por uma cadeira na AL, caso meu grupo político e meus fieis eleitores assim o desejem”.

Quando assim responde, pode anotar: Pedro é pré-candidato a deputado estadual.

O PCdoB estadual tem quase certa a aprovação do nome do vereador Gilson Dias, para a disputa.

Quem também trabalha pensando numa candidatura à AL são os vereadores Priscila Veloso (PTB), Ilker Moraes ( PHS), e  Pedro Correa (PTB), presidente da Câmara Municipal.

Fornido pela extraordinária votação que obteve para prefeito de Marabá – 48 mil votos -, o médico Manoel Veloso (DEM) vem recebendo apelos de sua base e dos eleitores que lhes foram fieis no pleito municipal, para tentar uma cadeira na Assembleia Legislativa.

É um nome no rol daqueles que sonham em renovar a política marabaense.

Post de 

9 Comentários

  1. Eu sou, Antonio Milton Psol 50

    29 de maio de 2018 - 01:28 - 1:28
    Reply

    Eu também, sou pré a estadual,e um abiviso, nunca substime uma pessoa objetiva e determinada, na busca de seus objetivos,

  2. Alessandra

    31 de janeiro de 2018 - 12:46 - 12:46
    Reply

    Federal só tem um nome em Maraba,Asdrubal Bentes…Fez e faz muito mais por Marabá e região!!!

  3. Carla Saraiva

    21 de julho de 2017 - 21:32 - 21:32
    Reply

    Meu voto é do Beto Salame pra federal. Está fazendo um ótimo trabalho. Tenho amigos em várias cidades que estão elogiando o trabalho dele, que tem uma águia por trás dele articulando apoios em todo estado, o ex-prefeito João Salame. Podem anotar: ele se reelege. Pra estadual ainda não decidi. Pode ser o dr. Manoel ou o João Salame se vier.

  4. Minha Opinião

    21 de julho de 2017 - 15:01 - 15:01
    Reply

    Mais do mesmo. E as coisas continua do mesmo jeito. Onde vamos parar se não houver uma mudança verdadeira na representatividade popular.
    Candidatos mais que repetidos/carimbados e rejeitados pela população retornarão para mais uma vez tentar a sorte em um cenário político que clama por mudança.
    Marabá e região merece mais o Pará merece mais.
    De todos os nomes apresentados o do Delegado Toni Cunha e do Dr. Manoel Veloso são as únicas novidade para uma candidatura ao legislativo estadual ou federal.
    A Esperança é que novos nomes se apresentem nesse novo Brasil que timidamente e, com uma classe política que torce contra a mudança, acorda desse berço esplêndido.
    Senão senhores/as só teremos “mais do mesmo” sempre.

  5. Luís Sousa

    20 de julho de 2017 - 22:53 - 22:53
    Reply

    Meu caro Normando,
    Muita pretensão sua lançar o Leodato. Muito fraco. Somente para inflar os candidatos marabaenses.

  6. jr

    19 de julho de 2017 - 11:58 - 11:58
    Reply

    Tudo candidato ruim!

  7. Maraba

    19 de julho de 2017 - 11:43 - 11:43
    Reply

    Tao esquecendo do asdrubal , beto salame esse pode esquecer que não se elege , e sem contar que aqui em Maraba pode esperar pra estadual como certo Dirceu , Toni cunha , se vim pra estadual dr Manoel pode segurar uma vaga chamonzinho vem forte, pedrinho se baixar mais a bossalidade o restante é só pra preencher e ajudar a eleger gente lá de fora de Maraba

  8. Normando Gonçalo Peixoto

    18 de julho de 2017 - 20:06 - 20:06
    Reply

    Hiroshi, de todos os pretendentes a uma vaga para assembléia legislativa, o nome mais forte, e, com densidade eleitoral no estado é, o do ex-prefeito João Salame. Também, já em plena campanha, percorrendo o interior ao lado do ex-senador Mário Couto e candidato a senador pelo PP e seu principal cabo eleitoral.
    O retorno dele é dado como certo nos meios políticos estadual.
    É, só conferir pra ver!
    Abç

  9. Normando Gonçalo Peixoto

    18 de julho de 2017 - 19:34 - 19:34
    Reply

    Hiroshi, anote aí.
    Você esqueceu que temos no páreo à disputa por uma vaga seja à estadual ou federal, nosso eterno candidato Leodato, atual presidente do PROS em Marabá.
    Aliás, já está em campanha.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *