Hiroshi Bogéa On line

Educação por princípio

Juvencio de Arruda veio em auxílio do poster a propósito de comentário malcriado de um Anônimo ao post “Dia ‘D’ dos usineiros”. O clic de Juvêncio enquadra a situação e seus descontentes. O que ele diz:

A dívida social que o choroso anônimo esgrime contra os críticos da atual matriz energética das siderúrgicas, é resultado exatamente do modelo concentrador e excludente onde elas estão inseridas, e não o contrário.
E aumenta a cada caminhão de carvão ilegal que entra no páteo das guseiras.
A dívida social é anterior às siderúrgicas e estimulada por elas, vide o trabalho escravo e degradação ambiental, esta sim uma dívida social impagável.
Ora senhores,façam o favor de aparecer à sociedade com um pouco mais de conhecimento de causa, e dinheiro para começar a resgatar a grande devastação- social inclusive – que protagonizam desde o final dos 80.
Esse raciocínio de “dívida social” é equivocado, e deve ser entendido como último suspiro.
Prá continuar, o setor tem que se enquadrar. E vai.
Ou então, aí sim, vão fechar as portas.
(…) O mais difícil fica pra os jornalistas e assessores de comunicação, que não conseguem convencer o setor a baixar a bola, nem mantê-la alta.
Nem podem. Não é uma questão de comunicação.
É de educação mesmo, empresarial e política.

Post de 

2 Comentários

  1. hiroshi

    7 de março de 2007 - 22:15 - 22:15
    Reply

    Meu grande amigo Ricardo,ainda em São Geraldo?! Vou fazer uma visita qualquer hora dessas.
    O Juvencio está aí mesmo dando essa contribuição construtiva e acrescentando conhecimento a quem necessita – como nós. Sei que a tua vida gira em torno das matas, rios e sons dos animais- e isso me dá uma inveja danada.
    Manda teu e-mail pra ti passar uns textos maravilhosos do Alejandro Queral. Sei que vais sorvê-los com vontade.
    Abs

  2. Anonymous

    7 de março de 2007 - 21:53 - 21:53
    Reply

    Hiroshi, adorei esse comentário do Juvencio, a quem não conheço mas passei a ter grande admiração depois dessa colocaçao contestando o anonimo. Como militante da causa ambiental aqui em São Geraldo (e você me conhece muito bem o quanto me desespero diante de tantas mazelas que fazem ao nosso Planeta), a esperança se renova quando encontramos gente com o pensamento desse rapaz.
    Que bom. Vou dormir mais tranquilo. É possível ainda salvar a floresta.
    Ricardo Jacob

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *