Hiroshi Bogéa On line

Educação para o desenvolvimento pleno

 

 

“Um dos grandes desafios da região,  sem sombra de dúvida, é  preparar nossos jovens para o mercado de trabalho”.

 

Assim começa o artigo da semana de Ítalo Ipojucan, presidente da Associação Comercial e Industrial de Marabá, abordado a questão educacional.

Matéria encontra-se na coluna Colaboradores, ao lado.

Post de 

3 Comentários

  1. Claudio Pinheiro Filho

    8 de agosto de 2011 - 09:42 - 9:42
    Reply

    Ingressei na Câmara como auxiliar. Pelo meu trabalho, consegui o cargo que hoje ocupo. Caro Antônio, com assiduidade, competência e perseverança, o homem conquista seus objetivos. Faça o mesmo, não espere a morte chegar.
    Sempre existirá alguém mais competente e com maior experiência. O importante é batalhar, tentar, acordar cedo e se preocupar mais com a sua vida do que com a alheia. Algumas pessoas conseguem fazer isso, outras, perdem seu tempo em blog´s tecendo críticas a terceiros . Cada um tem seu papel e o que merece da vida.
    Emprego ilícito? Onde? sou contratado, como tantos outros. Pare de falar sandice. Seja feliz!!
    Como diria Paul McCartney: LIVE AND LET DIE.

  2. Antonio_Claudinei@hotmail.com

    5 de agosto de 2011 - 13:14 - 13:14
    Reply

    Concordo com o Claudio P. Filho. Só complementaria, dizendo que, tambem, há que se mudar a “forma” de como os “empregos” hoje são conseguidos – nem sempre de forma lícita – a maioria por “indicação” de político ou pessoa de maiores posses. Aliás, seria interessante, o CPF esclarecer em qual modalidade ele se encaixou para conseguir o trabalho na CMM. Porquê, com certeza, existem muitos outros com mais experiencia e maior capacidade que a dele, na área em que milita. Em 05.08.11, Marabá-PA.

  3. Claudio Pinheiro Filho

    5 de agosto de 2011 - 10:07 - 10:07
    Reply

    O Brasil possui a 7° economia mundial. O que o faz ser um País de terceiro mundo é justamente o baixo índice educacional. Ainda somos subdesenvolvidos.
    Educação não significa apenas formação de profissionais ou uma melhor mão-de-obra, é mais abrangente, tem uma conotação mais profunda.
    Quanto maior a instrução de um povo, melhor seu desenvolvimento e suas escolhas.
    Em um regime fascista, conhecimento era sinônimo de anarquia, pois, a massa formada por ignorantes é facilmente manobrada.
    Além de formar melhores profissionais, uma educação de qualidade agrega conhecimento ao ser humano, de seus reais direitos e deveres.
    Resultado: Saberemos escolher melhor nossos representantes e cobrá-los nas formas, lugares e modos pertinentes aos cidadãos de bem desse País.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *