Educação: condições de trabalho

Publicado em 14 de setembro de 2011

 

 

Ao post Escolas paraenses no Enem, comentarista Célio deixa  pitaco sobre a questão educacional do país, replicando outra comentarista:

 

 

Gorete, você não pode negar que nos últimos anos houve uma melhora significa na remuneração dos professores e nas condições de trabalho. Mesmo assim eu não disse que os professores estão sendo justamente remunerados.

O que eu digo, e digo porque conheço do assunto, é que a principal pauta dos professores tem sido essa sim, aumento de salários e redução da jornada. O problema, e eu volto a reafirmar porque conheço, é que a cada vez que o setor público diminui a jornada dos professores eles pegam novas horas ou em novas escolas públicas ou em escolas particulares.

Por exemplo, conheço um professor trabalhava apenas na rede estadual, ele mesmo que usou este frase: ouve significativa melhora nas condições de trabalho dos docentes no governo da Ana Júlia (em quem não votei), e segundo este mesmo professor, no Estado a jornada dele diminuiu e ele fez o quê? aumentou as horas dele em uma escola municipal, quer dizer não adiantou a Seduc reduzir o tempo do professor em sala para que ele pudesse ter tempo para planejar, corrigir trabalhos sem ter um minuto de descanso. E esse mesmo professor me afirmou sem a menor cerimônia que todos os colegas dele pegaram mais horas em escolas públicas e privadas. E advinhem em qual ele se dedica mais e não falta?

Eu não estou fazendo um debate para satanizar os professores da rede pública, estou afirmando é que a sociedade (da qual os próprios professores fazem parte) vai se cansar disso, de pagar a conta e não ter retorno.

Eu acho que uma das soluções seria por exemplo, exigir exclusividade, um professor não pode ficar dando aulas em escolas das redes estadual, municipal e privada concomitantemente. E assim sim, em contrapartida oferecer uma remuneração melhor, com limite de jornada de trabalho e avaliação constante de desempenho, igual qualquer trabalhor é submetido hoje.