Hiroshi Bogéa On line

Economia Solidária discutida em seminário

 

Na manhã desta quarta-feira, 25, aconteceu a abertura do I Seminário de Economia Solidária (foto), promovido pela Prefeitura de Marabá, através da Secretaria Municipal de Ação Comunitária. O seminário tem como tema “Economia Solidária – Possibilidades e Limites” e como palestrante convidado o jornalista João Bosco, experiente defensor do avanço da economia solidária no País.

Antes de começar o evento, foi pedido um minuto de silêncio pela morte dos ambientalistas João Cláudio Ribeiro da Silva e Maria do Espírito Santo, brutalmente assassinados no município de Nova Ipixuna, que também eram conhecidos por sua luta pela economia solidária, tema do seminário.

A deputada estadual, Bernadete ten Caten, fez seu pronunciamento, falando que a luta dos ambientalistas por um trabalho de conscientização de formas de exploração sustentável da floresta foi em vão. “Vamos continuar essa luta, peço a todos que me acompanhem e que juntos consigamos recursos junto ao governo para os fundos da economia solidária. O conselho já existe, o projeto também, agora me ponho à disposição para reunirmos com o presidente da Assembleia Legislativa do Estado, Manoel Pioneiro, para conseguirmos recursos na ordem de um milhão de reais ao mês, durante um ano, para criarmos o fundo. Se há dinheiro sendo distribuído de forma irregular em folhas de pagamento dentro da Alepa, porque não usar esse dinheiro que está sobrando para criação do fundo da economia solidária, que será para o bem de toda a sociedade?”, disse a deputada.

A secretária de Ação Comunitária, Lúcia Mendes, falou da importância do seminário. “É valoroso ter um governo que se preocupa com o social, começando pela criação desta secretaria. Discutir as necessidades do município para a criação de políticas públicas que nos possibilitem dar à comunidade capacitação profissional, para que sejam inseridos no mercado de trabalho e, com isso, gerar emprego e renda para o município”.

O líder comunitário Divino Cândido falou do grande trabalho social que tem sido feito pela secretaria e que, é importante para toda a sociedade criar novas possibilidades para os filhos da terra. “Com a criação do fundo para a economia solidária, teremos mais profissionais capacitados, gerando empregos para os que estão aqui, sem necessidade de trazer mão de obra de fora e, consequentemente, melhorando a economia do município.

Segundo ele, a Secretaria de Ação Comunitária, Trabalho e Cidadania, criada pelo prefeito Maurino Magalhães, já faz esse trabalho social, com o olhar do respeito e da humanidade da secretária Lúcia Mendes.

O prefeito Maurino Magalhães afirmou ser fundamental discutir o projeto da economia solidária, para que, este, vá ao encontro das necessidades da população. “O objetivo do governo, quando criou a Secretaria de Ação Comunitária foi a inclusão social do povo de Marabá. A violência não diminui com armas, só com a extinção da desigualdade social. Se é impossível acabar de uma vez com as desigualdades sociais, é possível começar agora, fazendo a nossa parte”.

Fonte: Secom

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *