Hiroshi Bogéa On line

E tome Lula

Nas próximas horas, a Fundação Getúlio Vargas, do Rio de Janeiro, divulgará pesquisa quentinha sobre a renda do brasileiro.

Será mais um golpe nas intenções golpistas de parte da imprensa brasileira que tenta, a todo custo, descobrir “um fato novo” capaz de derrotar Dilma.

Os números da FGV mostrarão que a pobreza no país caiu quase 13%, nos últrimos doze meses.

Leram com atenção?

Isto mesmo? 13%.

Podem pintar Dilma satanicamente que a cipoada será bem maior do que preveem os mais otimistas.

O governo Lula está conseguindo reduzir extraordinariamente a distância que separava ricaços do miserê.

Os abastardos não se conformam com o Novo Brasil, que valoriza o ser humano e as camadas mais escanteadas desta terra descoberta por Cabral.

A exploração insana da pobreza  vai chegar ao fim, mais cedo do pensavam sociólogos e historiadores.

Os economistas, não!

Esses não acertam nunca.

Post de 

3 Comentários

  1. Nilson

    10 de setembro de 2010 - 21:03 - 21:03
    Reply

    Hiroshi,
    Nélson Rodrigues nos ensinou:"Toda unanimidade é burra".
    Estamos vendo todo mundo apoiando Lula, inclusive seu oponente José Serra que o apoia ao se apoiar nele.
    Não sei se isso é salutar.
    Ainda acredito na alternância do poder como melhor arma para a Democracia, mas assim, que alternância teríamos?
    Não se pode negar as conquistas de Lula, importante, mas e a Dilma?
    Terá respaldo para continuar o que foi feito?
    Caciques, empresários, ongs, sindicatos, adversários, ex-adversários- tudo bebendo da mesma fonte?
    Aí tem coisa! Vai desaguar em águas turvas.

    Dúvidas.Dúvidas.
    Nilson.

  2. Anonymous

    7 de setembro de 2010 - 00:43 - 0:43
    Reply

    Isso eles do Partido Só Da Boquinha (PSDB) não engolem: as estatísticas, que mostram em nível nacional e estadual, como o Brasil e o Pará melhoraram, no Governo Lula e Ana Júlia, respectivamente.

  3. Anonymous

    6 de setembro de 2010 - 22:32 - 22:32
    Reply

    Nem certos sociológos… Rsrsrsrs.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *