Hiroshi Bogéa On line

E os outros?

Asdrúbal Bentes quer que o governo explique na Comissão da Amazônia por que os desmatamentos cresceram sem controle nos projetos de assentamento do INCRA. Ontem (09), o deputado federal do PMDB pediu a presença na comissão de um time bem graúdo para se explicarem, formado pelo presidente do Incra, Rolf Hackbart; Ibama, Marcus Luiz Barroso Barros; Iterpa, José Heder Benatti; Fetagri, Carlos Augusto Santos da Silva, Fetraf; Coordenador do MST, sendo os quatro últimos do Estado do Pará.

————–

atualizada às 09:23

Por ter apresentado requerimento idêntico na Comissão de Meio Ambiente da Câmara, o deputado Fernando Gabeira (PV) acertou com o deputado Asdrubal Bentes transformar os depoimentos da turma acima em reunião de audiência pública conjunta das duas comissões.

Post de 

3 Comentários

  1. Quaradouro

    12 de maio de 2007 - 04:19 - 4:19
    Reply

    Ô Professor!… Manda a passagem que a gente tenta convencer o deputado a migrar praí

  2. Quaradouro

    12 de maio de 2007 - 04:18 - 4:18
    Reply

    é engraçado o Asdrúbal defender madeireiros e atacar agricultores assentados, de quem as madeireiras vivem atrás para vender as castanheiras, o mogno, o que resta de madeira nobre nos lotes que precisam ser “limpos” para o plantio.
    Outra difícil de engolir é vosso deputado defender em Brasília os sem-teto e levar a tiracolo para audiência com as autoridades o advogado e o dono de um latifúndio urbano interessado na desapropriação da sua terra invadida.

  3. Anonymous

    10 de maio de 2007 - 16:55 - 16:55
    Reply

    ASDRUBAL É O MELHOR DEPUTADO FEDERAL QUE O PARÁ TEM. AQUI EM SATANRÉM ELE ESTEVE DIA DESSES E DEU ENTREVISTA DEFENDENDO O SETOR PRODUTIVO QUE SE ENCONTRA CADA DIA MAIS ENCURRALADO. FALOU O QUE NENHUM POLLÍTICO TEVE CORAGEM DE FALAR. SERIA BOM QUE O ASDRUBAL VISSE MORAR AQUI EM SANTAREM. A GENTE APROVEIRA E MANDA OS POLÍTICOS ENGANADORES DAQUI PRA MARABÁ. RSRSRSRSR
    MÁRIO SANTOS TEIXEIRA
    PROFESSOR

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *