Dos quatro hospitais de campanha para enfrentar o coronavírus anunciados por Helder, um será edificado em Marabá

Helder Barbalho tem surpreendido com ações de impactos no enfrentamento ao coronavírus.

Surpreendido e  se antecipado aos fatos

Nesta terça-feira (24), o governador do Estado  assinou contrato com uma empresa paulista, que atua no setor de infraestrutura e engenharia, para implantar hospitais de campanha que atenderão pacientes com covid-19.

Serão instaladas quatro estruturas hospitalares temporárias: uma em Belém (RMB), uma Marabá (região de Carajás), outra em Santarém (região do Tapajós) e uma em Breves (Marajó).

Ao todo são 720 leitos a mais sendo ofertados na rede pública de saúde.

Cada leito custará, em média, R$5 mil para o Estado.

Em contrato, a empresa apresentou um projeto arquitetônico com base nas normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) e demais regulações do Ministério do Trabalho.

Nele, a empresa sugere instalar os hospitais de campanha em Centros de Convenções ou estruturas semelhantes.

Mas também deixa claro que o projeto pode ser alterado se um outro tipo de espaço for disponibilizado.

Os hospitais de campanha devem operar no Pará por 120 dias no mínimo.

“A previsão é de que os hospitais estejam todos prontos e funcionando para atender a nossa população e fazer frente a emergência do combate ao coronavírus em 20 dias”, disse Helder Barbalho.

Hospital de campanha é o termo militar, comumente usado em situações de desastres ou calamidade pública, referindo-se a uma pequena unidade médica móvel, ou mini-hospital, que cuida temporariamente de pacientes antes que possam ser transportados com segurança para instalações permanentes.

Por meio do twitter pessoal dele, o governor do Pará, Helder Barbalho, divulgou a novidade.