Hiroshi Bogéa On line

Dino Altoé renuncia ao mandato de prefeito de Jacundá

Quem informa, diretamente de Jacundá, é o repórter Antonio Barroso:

Dino

 

Há 7 meses do término do seu segundo mandato, o prefeito Izaldino Altoé (PT), o popular Dino, renunciou ao mandato de prefeito de Jacundá. A comunicação foi oficializada na manhã de sexta-feira, 3, durante uma reunião com os vereadores do município. O ex-gestor alegou problemas de saúde. O vice-prefeito Itonir Tavares será empossado na segunda-feira, 6, na Câmara de Vereadores.

Na carta endereçada à Câmara de Vereadores, o então prefeito Dino Altoé anexou dois atestados médicos que indicam “estado de humor deprimido marcado por falta de concentração, falta de energia, insônia e presença de intensa irritabilidade, não apresentando condições para o trabalho”. Pessoalmente, ele disse que “ainda neste período, os médicos que me acompanham orientaram o meu afastamento do cargo para cuidar da minha saúde física e mental, contudo, no afã de querer sempre o melhor para a minha querida Jacundá, que acolheu a mim e a minha família de forma tão calorosa desde que aqui chegamos, não obedeci as recomendações”.

Dino fez questão de dizer que nesses 7 anos e cinco meses em que ocupou o cargo de prefeito, com apoio da população de Jacundá, dedicou-se com entusiasmo e coragem às causas do Município, tendo coseguido com auxílio do Governo Federal, nas gestões de Lula e Dilma, e do governo estadual, na gestão de Ana Júlia e do Governador Simão Jatene, obras públicas de grande relevância, além disso, ele agradeceu aos senadores, deputados estaduais e federais que tem contribuído com Jacundá e, principalmente aos grupo de vereadores que o apoiou dando-lhe governabilidade.

Em entrevista exclusiva concedida em sua residência no início da tarde de sexta-feira, o gestor falou sobre a difícil decisão de abdicar ao governo municipal. “Foi uma decisão difícil para mim, mas tive apoio de minha esposa e filhos, dos meus pais e irmãos. Além disso, tenho um grupo de apoio político e de amigos, um grupo de vareadores que me dou bem, mas tenho que olhar para minha saúde. Durante o meu primeiro mandato o meu nível de estresse trouxe consequência graves à minha saúde. Cheguei a iniciar um tratamento de saúde, mas não obedeci. Esse quadro se agravou mais ainda”. Ele disse que esses problemas foram se agravando a tal ponto de prejudicar algumas decisões pessoais e administrativas.

Sobre seu relacionamento com o vice-prefeito Itonir Tavares, Dino disse que é uma pessoa de sua extrema confiança. “É um vice-prefeito que confio muito, se não fosse um parceiro e amigo, eu não renunciaria. Ele é capaz de dar prosseguimento ao meu governo, é um irmão. Não tenho dúvida que deixando o cargo com ele, a nossa sociedade vai ganhar, pois temos uma equipe de secretários eficientes, um grupo de colaboradores prontos para ajudar”.

Em relação a comentários sobre uma possível pressão para deixar a Prefeitura, Dino foi enfático: “não fui pressionado por ninguém, pelo contrário, o presidente do meu partido ficou comovido com minha decisão. Cheguei a pegar um atestado médico para me licenciar da Prefeitura, e durante essa crise financeira desse ano onde os recursos e repasses caíram drasticamente, a burocracia para liberar parcelas das obras que estamos realizando, atraso de repasses, dezenas de viagens a Brasília e Belém, terminei pagando um preço alto. Cansei-me. Estou extremamente estressado e não quero cair no estado depressivo novamente”.

Dino faz uma autocrítica. “Não fiz política de andar nas casas dos amigos, fazer reuniões. Corri para conseguir e terminar as obras, melhorar o nosso sistema de saneamento básico. Entrei para trabalhar, vou deixar mais de 40 obras, muitas delas em fase de conclusão. Sou o prefeito que mais fiz obras por Jacundá, muitas delas sonhos era sonho da sociedade como é o caso do Terminal Rodoviário, projeto de água tratada que está quase concluído, é outro sonho. Sinto orgulho de tudo que fiz por Jacundá e vou continuar fazendo”.

 

Antes de finalizar a entrevistar, Dino afirmou que pretende se dedicar a recuperação de sua saúde,  voltar a dedicar-se à religião, esporte e lazer e à sua família.

Renúncia

 

Renúncia 2

 

Post de 

1 Comentário

  1. Edson

    4 de junho de 2016 - 14:45 - 14:45
    Reply

    Pois eu também vou renunciar a minha condição de marido, porque esses sintomas delw bem aí eu tenho todos, a diferença dela pra minha e que eu ando liso e ele com essa doenças todas ta com a conta abarrotada

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *