Dilma sanciona lei que cria Unifesspa

Publicado em 5 de junho de 2013

 

 

A presidenta Dilma Rousseff sancionou  agora há pouco,  em Brasília (DF),  leis criando quatro novas instituições públicas de ensino superior no Brasil, entre elas a Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), com a oferta de quase 13 mil vagas de graduação.

Além do Unifesspa,  estão criadas as Universidades Federal do Cariri (UFCA),  Universidade Federal do Sul da Bahia (Ufesba), e Universidade Federal do Oeste da Bahia (Ufob), que, juntas, terão  16 campi para atender 38.360 estudantes, divididos em 145 cursos de graduação.

Com sede no município de Marabá,  A Universidade Federal do Sul/Sudeste do Pará (Unifesspa)  terá e 12.830 vagas para serem preenchidas em 47 cursos de graduação, com campus em Santana do Araguaia, São Félix do Xingu, Rondon e Xinguara.

Para atuar em todas as unidades, 506 novos professores e 595 técnicos administrativos serão contratados.

A cidade de Parauapebas também teria um campus, mas foi retirado em agosto de 2011, quando o projeto final foi encaminhado ao congresso nacional.

Já os municípios de Tucuruí e Redenção não constavam na universidade, mas foram adicionados em 2012 sem definição de quantos e quais cursos iriam receber.

 

Presente os governadores dos Estados contemplados com as novas universidades federais, Jaques  Wagner (Bahia) e Cid Gomes (Ceará), ao serem chamados para discursar, citaram a importância das regiões beneficiadas com as universidades, para o desenvolvimento dos Estados, citando nominalmente as sedes dos novos campus e municípios do entorno.

Por sua vez, o governador Simão Jatene, também convidado a falar, não fez nenhuma menção às cidades da região que serão contempladas com os campis, destacando, no entanto, a importância do ensino universitário para o desenvolvimento do Estado, como um todo.

A presidente Dilma Roussef fez questão de citar Marabá em três ocasiões, aludindo a importância de sua posição geográfica como polo irradiador, agora beneficiada como sede da Unifesspa.

Além do prefeito João Salame, que foi cumprimentada pela Presidente da República, também estavam presentes ao Palácio do Planalto, os prefeitos de Santana do Araguaia, São Félix do Xingu, Rondon e Xinguara.

 

Com informação, também, do DOL.

Ao lado de governadores e ministros, Dilma sancionou a criação das novas universidades
Ao lado de governadores e ministros, Dilma sancionou a criação das novas universidades

 

Na solenidade, em Brasília, agora há pouco, prefeito de Marabá,  ao lado de Bia Cardoso, sua esposo; e do filho, João Gabriel -, encontra-se com ministro da Educação, Aloísio Mercadante,.
Na solenidade, em Brasília, agora há pouco, prefeito de Marabá, ao lado de Bia Cardoso, sua esposo; e do filho, João Gabriel -, encontra-se com ministro da Educação, Aloísio Mercadante,.

 

———————-

Atualização às 21:17

 

A Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará nasce a partir do desmembramento da Universidade Federal do Pará (UFPA), com sede em Marabá, com campi nos municípios de Rondon do Pará, Santana do Araguaia, São Félix do Xingu e Xinguara. A Unifesspa ofertará 12.830 vagas, em 47 cursos de graduação. Serão contratados 506 professores e 595 técnicos administrativos.

 

 

A presidenta Dilma Rousseff destacou que o ensino superior é o investimento que vai impulsionar a qualificação profissional e o desenvolvimento de toda uma cadeia industrial e tecnológica nas regiões, levando educação superior ao interior dos Estados.

 

 

Reflexão – “Vou concluir fazendo uma reflexão que gostei muito, do governador Simão Jatene, que disse que a gente tem que buscar a fórmula de transformar a nossa diversidade não em um fator de desigualdade, e sim num fator de crescimento, de desenvolvimento, de distribuição de renda e de prosperidade pro nosso país”, declarou a presidenta.

 

 

Para o governador Simão Jatene, a universidade é uma luta de todos os paraenses, em conjunto com o Governo Federal, e o Estado só tem a  ganhar com investimentos nessa área. “A única forma de nós, efetivamente, reduzirmos nossas desigualdades é utilizando o conhecimento como ferramenta. E a universidade é o local privilegiado para formação e difusão do conhecimento. Ganham o sul e o sudeste do Pará, ganha o Pará, que é um Estado com potencial enorme, mas que tem o desafio de reduzir a pobreza e a desigualdade. E sem educação isso simplesmente não é possível”, afirmou o governador do Pará.

 

 

Segundo Jatene, o conjunto de instituições de ensino no Estado pode consolidar ações no sentido de aliar conhecimento, tecnologias e projetos voltados para a população. “Essas universidades, em conjunto com a Universidade Tecnológica, que está em processo de articulação, e outras escolas técnicas espalhadas pelo Estado, farão com que as pessoas, a nossa sociedade, participem das pesquisas, dos projetos. Mas participem pela porta da frente, tendo efetivamente nesses projetos a busca pela melhoria da qualidade de vida das pessoas. A universidade, onde se produz conhecimento, é o espaço ideal para isto”, completou Simão Jatene. (Agência Pará)