Hiroshi Bogéa On line

Diferenças iguais

A chapa a ser formada pela dupla Luiz Resende (PT) e Diogo Naves (PV), com apoio declarado e irrestrito de Sebastião Curió (DEM), pode até não ganhar a eleição de Curionópolis, mas já conquistou o troféu de bizarrice eleitoral da década.

Unir iguais em partidos díspares é algo a merecer estudos da sociologia. E de antropólogos.

Post de 

4 Comentários

  1. chapolin07

    13 de junho de 2008 - 03:10 - 3:10
    Reply

    No caso de Curionópolis, como deveríamos classificar “a espécie política nascedoura” da aliança Luiz Resende-Diogo Naves, sob fiança do prefeito Curió? Talvez, “Culuves”? Ou seria melhor, “Culunaves”?
    Por outro lado, talvez a tal “espécie política” não seja produto apenas de “interesses mesquinhos, imediatistas e eleitoreiros de momento”. Pode ser produto geral da sociedade e da política paraenses. Até mesmo de suas concepções de Política, Justiça e História. E, no caso destas duas últimas, apenas para não extrapolarmos nos exemplos, vejamos dois casos.
    No primeiro, o da “justiça paraense” (e as iniciais minúsculas não são mera coincidência), ficaremos com a absolvição do fazendeiro Bida, acusado de ser o mandante do assassinato da missionária ianque-brasileira Dorothy Sthang, em segundo julgamento, depois de ter sido condenado a quase 30 anos no primeiro.
    No caso da “historiografia paraense”, o melhor exemplo foi o dos elaboradores do Daves/UFPA, que corrigiram a prova do Vestibular Especial (PS-2008/3), realizado no último dia 08, e consideraram correta a seguinte afirmação: “alteração nos símbolos liberais-comunistas e a formação de uma nova ordem mundial, com a passagem do mundo da foice e martelo (socialismo) para o do neoliberalismo (liberal-comunista)”.
    Do ponto de vista da teoria política, talvez esteja aí, na “existência desse neoliberalismo (liberal-comunista)”, segundo a comissão elaboradora e corretora do Daves/UFPA, as “bases teóricas da aliança PT-PV”, em Curionópolis, sob a “benção do prefeito cassado (?) Sebastião Curió”.
    Do ponto de vista deste colunista, que, aliás, prestou a tal prova do vestibular e, como muitos, se surpreendeu com a existência do “tal liberal-comunismo”, a tão “singularíssima aliança seja a sua mais nova expressão”.

    Leo Filho, professor e educador

  2. Anonymous

    11 de junho de 2008 - 14:03 - 14:03
    Reply

    Deve ser algo relacionado com a China. Lá tudo vale e tudo funciona (rs).

  3. chapolin07

    10 de junho de 2008 - 22:09 - 22:09
    Reply

    Hiroshi…

    gostaria através desta mensagem de comparar aliança entre Luis Resende (PT) e Diogo Naves (PV) deve ser a expressão do tal “liberal-comunismo” que a Comissão considerou ser o vencedor da Guerra Fria. Veja a prova de História – questão 36 e o gabarito divulgado. Alias, Hisroshi,voce que um repórter de influência no Estado, devia nos ajudar a questionar este estranho gabarito. para nós,que moramos no interior do estado (em nosso caso, Parauapebas) é impossível faze-lo, pois, teriamos que ir até Belem.

    Peço que voce nos ajude a exigir dos elaboradores que nos esclarecer o que seja “liberal-comunismo”.

    certo de sua atenção,

    Leo Filho, professor e educador.

  4. José Raimundo- Parauapebas

    10 de junho de 2008 - 21:44 - 21:44
    Reply

    Além de bizarra essa união na verdade é a mistura exata dos iguais, mesmo! Se não vejamos: O Luiz Resende é filho de fazendeiro/madeireiro. Como petista jamais obteve sucesso nas urnas. Nas últimas eleições foi candidato a Prefeito de Curionópolis e quase “espoca” as urnas com seus 300 votos. E agora está tentando se unir a quem interessar, mas sua missão é impossível!
    Junto com o Diogo Naves que é o mui amigo dos sem-terra e trabalhadores rurais (alvos principais do PT na região) e o Curió – que dispensa comentários, com certeza, chegará aos 500 votos em outubro. Melhor para seu adversário do PMDB, que vai levar fácil, fácil…

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *