Hiroshi Bogéa On line

Diante do delegado

Supostamente acusado de ter incitado a invasão geral de propriedades no Sul do Pará, utilizando em discurso a frase “Não pode ficar nenhum latifúndio para fazer remédio” -, Charles Trocate, um dos coordenadores nacional do MST, logo mais adentra a DECA de Marabá (17 horas) para ser ouvido pelo delegado  Alberone Lobato, no inquérito policial aberto para apurar o suposto crime praticado pelo sindicalista.

Post de 

5 Comentários

  1. Anonymous

    1 de maio de 2009 - 11:46 - 11:46
    Reply

    Bem então em uma reportagem fantasiosa do ultimo fantastico devo ter surtado pois eu ouvi e vi ele dizer isto. Que palhaçado este Trocate.

  2. Anonymous

    28 de abril de 2009 - 17:29 - 17:29
    Reply

    Que os latifundios tremam, os trabalhadores não tem nada a perder, a burguesia agr’aria e seus postuladores sim. Charles Trocate fala e faz o que muitos tem medo, só espero que não o matem, pois assim é a historia da região, toda vezes que alguem ou movimento se posiciona contra a espoliação, a morte lhe é certeira! Salve o MST, e o seu dirigente Charles Trocate

  3. Anonymous

    28 de abril de 2009 - 15:58 - 15:58
    Reply

    Ele não disse isso, caro anônimo 6:23h. AS OCUPAÇOES CONTINUARÃO!!! CRIME´É O MODELO DE DESENVOLVIMENTO, QUE DESAGREGA, ELEVA A POPULAÇÃO A POBREZA, E DESMATA.

    As ocupações são legitimas!!

  4. Anonymous

    27 de abril de 2009 - 09:23 - 9:23
    Reply

    Vou antecipar o que o Trocate vai dizer ao delegado: “Não sei de nada. Não falei nada” . O Lula faz história, mano velho…

  5. Anonymous

    26 de abril de 2009 - 21:40 - 21:40
    Reply

    Esse rapaz é a imagem desse movimento que vai levar o Estado do Pará a maior calamidade já visa, desempregp, falta de investimentos, assassinatos, furtos etc…

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *