Diabruras parlamentares

Publicado em 14 de novembro de 2007

Desde quando assumiu a presidência da Câmara de Marabá, o vereador Miguelito Gomes (PP) decidiu depositar mensalmente numa conta especial R$ 120 mil como reserva técnica para viabilizar a construção do prédio da Câmara. Chegou a fazer um gordo caixa que só não aumentou mais em razão de uma até agora não explicada redução do valor mensal do depósito de R$ 120 para R$ 50 mil, decisão que teria sido tomada há dois meses -, depois de uma reunião conflituosa de um grupo de seis vereadores com o presidente do legislativo.

Durante o encontro, revela segura fonte da prefeitura de Marabá, Miguelito Gomes teria sofrido todo tipo de pressão para suspender em definitivo o depósito mensal do valor que vinha efetuando. Bate boca, ameaças veladas e explícitas de toda ordem teriam marcado a dura reunião no gabinete da presidência. A exigência dos seis vereadores – cujos nomes o blog ficou de receber nas próximas horas -, era para que Miguelito deixasse de lado a construção do prédio e destinasse a grana em ajuda de custo.

Consta que a mesa diretora voltou a depositar, este mes, valor maior na conta especial, em torno de R$ 100 mil.