Hiroshi Bogéa On line

Devagar, quase parando

 

Capitaneada pelo folclórico professor Wilson Teixeira, cerca de 40 pessoas, no máximo, percorreram a avenida Antonio Maia, no centro comercial da Velha Marabá, naquela que seria a maior passeata realizada  nos últimos tempos, conforme anunciavam aos quatro cantos da cidade dias antes do babado.

A concentração ocorreu na entrada da Velha Marabá, na manhã de sábado, com alguns participantes usando camisas do Sim.

Deputados federais e estaduais, ao tomarem conhecimento do fiasco, nem colocaram os pés na avenida.

Enquanto a passeata descia, às 10 horas,   timidamente pela avenida,  o comércio funcionava normalmente, ignorando  a manifestação cívica do aguerrido professor – que conseguiu chegar,  com menos gente, até a porta da Câmara Municipal, na praça Duque de Caxias, encerrando o movimento de forma bisonha.

Faltando uma semana para o plebiscito, a turma do Sim, em Marabá, teve que passar por essa vergonhosa manifestação fria, e alheia,  da população aos apelos separatistas.

Post de 

32 Comentários

  1. FILHA DE MARABA !!!!

    7 de dezembro de 2011 - 00:56 - 0:56
    Reply

    Hiroshi Bogea,
    sou filha de Marabá e a muitos anos acompanho a historia política desta terra onde vi chegar aqui gente praticamente só com a roupa do corpo e hoje e dono de fortunas incalculáveis e posso lhe garantir que poucos conquistarão isso trabalhando, e a maioria rsrsrsrsr foi puxando saco de político e virando político esse WILSÃO e um deles que teve sua chance mais deixou sua arrogância lhe administrar, vi esse cara chutar o isopor dos trabalhadores ambulantes muitas vezes na praça, nas festas juninas, na horla do Tocantins etcs… ele falava que ali só ficava quem ele queria e assim fazia humilhava assim os Pais e as mães de família, e hoje vive se mostrando fazendo manifestações na câmara e nas ruas querendo ser celebridade, Cara ele não tem moral nenhum ele e uma mistura de Hitler com Carmem Miranda da pra entender. Tião sai fora desse cara ele vai queimar teu filme assim como queimou na secretaria de cultura ”o tempo ruim viu”, já hoje o atual secretario Melquides esta bacana, o povo esta gostando e isso ai, WILSÃO volta pro MAR oferenda, e com relação ao Estado de Carajás prefiro não comentar já que o voto e secreto. Um grande abraço, To de olhoooooooooo, VIVA A LIBERDADE DE EXPRESSÃO. UHUUUUU

  2. Sócrates Grego

    6 de dezembro de 2011 - 16:34 - 16:34
    Reply

    Sofisma:

    “A verdade que salta aos olhos dessa gente é a realidade em que vivem: estradas esburacadas, pontes quebradas, saúde e educação precárias. Quem melhor do eles pode saber sobre que condições querem viver juntos, numa mesma sociedade? A história haverá de julgar nossa causa.”
    (Bia Cardoso)

    Para que serve mesmo o Deputado Estadual?

    Deputado estadual, de acordo com a Constituição brasileira de 1988, é o REPRESENTANTE POPULAR ESTADUAL, podendo propor, emendar, alterar, revogar e derrogar lei estaduais, tanto ordinárias como complementares, elaborar e emendar a Constituição estadual, julgar anualmente as contas prestadas pelo Governador do Estado, criar Comissões Parlamentares de Inquérito, além de outras competências estabelecidas na Constituição Federal e na Constituição Estadual.

    Sócrates, incansável defensor da democracia e do povo disse:” um homem, para ter valor no mundo, deve ter instrução.”

    Atenas/Grécia

  3. Sócrates Grego

    6 de dezembro de 2011 - 11:51 - 11:51
    Reply

    juntos e misturados no caldeirão da democracia.

    Tem um proprietário de um blog da região que, publicamente, declarou o seu voto pelo SIM. Embora devesse se abster por ser o administrador do Blog, não o fez e, mesmo assim, merece o respeito de todos.

    Diferentemente dessa postura, o Hiroshi Bogéa preferiu mantê-lo secreto, o que, eticamente e eleitoralmente está CORRETÍSSIMO.

    Por outro lado, o blog HB, moderadamente, publica todos os comentários, seja NÃO ou SIM, pela separação do estado, o que, DEMOCRATICAMENTE, é elogiável e demonstra claramente sua IMPARCIALIDADE.

    • Hiroshi Bogéa

      6 de dezembro de 2011 - 11:56 - 11:56
      Reply

      É isso aí, Sócrates Grego. Abs

  4. Sena

    6 de dezembro de 2011 - 01:53 - 1:53
    Reply

    O marqueteiro Duda Mendonça informa que trabalha de graça na campanha pela autonomia das regiões de Carajás e Tapajós (ambas no Pará). Quando trabalhava a dinheiro para o PT (por dentro e por fora) deu no que deu, imagine-se agora que não cobra. Já embolsou 8 milhões e retornou pra bahia depois do fracasso que acontecerá nas urnas domingo.

  5. Aurismar L. Queiroz

    5 de dezembro de 2011 - 23:31 - 23:31
    Reply

    Ao senhor Paulo Pereira e a senhora Maria Alves com a licença do moderador.
    Senhor Paulo Pereira,
    Ficar com medo e esconder a calda entre as patas trazeiras não resolve o problema da ausência do estado na nossa região não, camarada. Um pouco de consciência política cai bem, meu senhor. Vá lá que a senhora Cardoso e o senhor Salame queiram fazer as suas na política, agora ficar com medo disso ai é demais.
    Senhora Maria Alves,
    Entendo o seu medo, pois ele reproduz aquilo que a campanha do NÃO inculcou na cabeça das pessoas humildes como a senhora que não tem idéias próprias e ficam reproduzindo o discurso alheio. Reflita um pouco minha senhora:
    1- o Estado do Pará já não está endividado, principalmente com essa região? Quando foi a última escola que o estado construiu aqui na nossa cidade? Existe maior dívida do que negar educação de qualidade aos nossos filhos?
    2- Os políticos que defendem o não são honestos e fazem de tudo para o bem estar social dos seus co-cidadãos, ou são iguais aos que defendem o SIM? Está vendo, a questão não é nas mãos de quem vamos “entregar” o estado, porque em iguais mãos ele já está, mas a questão é aproximar o estado de seus cidadãos.
    3 – O povo não já não está pagando pela ausência do que há de mais básico para o estado burguês de direito: a ausência do estado?

    O sim é uma chance que temos para começar a mudar tudo isso.

  6. Paulo Pereira

    5 de dezembro de 2011 - 21:23 - 21:23
    Reply

    Caro jornalista Hiroshi Bogea.

    Emociono-me ao comprovar o altruismo da senhora Bia Cardoso ao revelar que tudo está sendo feito por amor, unica e exclusivamente, à nobre causa separatista.Isso significa, por certo, que ela não mais aceitará submeter-se à desmedida e egoista ambição politica de seu marido (Dep.João Salame), que não gosta de dividir o poder e prega e pratica escancarada do nepotismo politico, fazendo dela suplente de senador, quase vice (quem sabe) do Tião Miranda e por certo, Senadora ou vice-governadora se Carajá viesses.Tudo ficará em familia.É isso que nos mete medo e nos leva a protelarmos, através do não, a chegada do dia da emancipação para uma época em que talvez, pela misericórdia de Deus, venhamos a ser abençoados com uma nova, desprendida e idealista geração de politicos.Aí, nossos filhos e netos, poderão entregar a eles os cofres de um novo Estado tranquilamente.
    Por enquanto não.Quem quiser mais poder e ascensão politica, que lute para conseguir, pois nós não serviremos mais de trampolim para o alcance de meros objetivos pessoais.

  7. Hudson Jr

    5 de dezembro de 2011 - 20:47 - 20:47
    Reply

    Parabéns WILSÃO. Enquanto alguns só sabem falar, você toma iniciativa.

  8. Anonimo

    5 de dezembro de 2011 - 18:41 - 18:41
    Reply

    Olá Maria Alves, gostaria de te dizer que quando não se tem opinião formada ou domina-se o assunto, é preferivel ficar calada, voce perdeu uma grande oportunidade marabaense de araque?

  9. Anti-Tribunal

    5 de dezembro de 2011 - 17:11 - 17:11
    Reply

    100% Guerreiro, está aberto o Tribunal de Inquisição do Sim, onde quem não emitir publicamente que vota no SIM será lançado na fogueira? E onde fica a tal da democracia que vocês do tribunal inquisitório tanto pregam? Cada uma! O Hiroshi como qualquer outro cidadão não precisa gritar aos quatro cantos em quem vota. O voto é pessoal, é secreto.

  10. De Carajás

    5 de dezembro de 2011 - 16:59 - 16:59
    Reply

    Peraí, a Bia diz que não tem político por trás. E ela, como uma das organizadoras, não é por acaso suplente e política, já que dias atrás foi quase coloca como vice de Tião? Tô entendendo mais nada.

  11. Wilson Teixeira

    5 de dezembro de 2011 - 15:10 - 15:10
    Reply

    Caro Hiroshi
    O trabalho que nos fizemos no sábado não tinha o propósito de ser a maior passeata de Marabá. Foram distribuídos adesivos para centenas de veículos. Porém, fiquei chocado com a sua má informação, nós fazemos isso, todos os finais de semana, em diferentes bairros. Neste mesmo sábado estivemos na Liberdade e Morada Nova, adesivando e promovendo o SIM. Pena que voce só anda pelo centro da cidade. Gostaria que voce usasse a sua influência para ajudar na campanha do SIM.
    Abraços,
    Wilson Teixeira

    • Hiroshi Bogéa

      5 de dezembro de 2011 - 15:15 - 15:15
      Reply

      Abraços, Wilsão

  12. Maria Alves

    5 de dezembro de 2011 - 14:57 - 14:57
    Reply

    Gente, essa campanha tá me decepcionando. Sou filha de Marabá, voto pelo NÃO e já fui apedrejada por diversas vezes quando expresso a minha opinião. Isso é lamentável.
    O meu NÃO é pela certeza de que a falta de seriedade dos nossos representantes é grande: Já imaginaram se o SIM ganhasse.
    1- O Estado já iria nascer individado;
    2- Mais individado iria ficar com os superfaturamentos das obras que deveriam ser realizadas (Palácio de governo, Judiciário, etc);
    Não acho que a ideia seja ruim, mas sim os políticos que a defendem.
    No frigir dos ovos sabem quem iria pagar a conta do déficit?
    O povo, trabalhador, honesto, que luta pela sobrevivência. Aposto se os políticos iriam abrir mão de suas mordomias em prol do progresso do novo Estado.

  13. Anônimo

    5 de dezembro de 2011 - 14:34 - 14:34
    Reply

    Hei! não foi o Wilsão que mobilizou para a caminhada que aconteceu no sábado, eu fui convidado por amigos comuns como fabiano Botelho que usaram a rede social .
    O velho Wilsão participou como todos que estavam ali.,livre e comprometido com a nossa liberdade, com a nossa região.
    Wilsão obrigado pela coragem de mostrar sua cara e não se esconder atras de compromissos escusos.

  14. 100% Guerreiro

    5 de dezembro de 2011 - 13:44 - 13:44
    Reply

    É realmente a liberdade de expressão algumas vezes nesse blog não é respeitada. Sou leitor DIARIAMENTE, e quando me disponho a dar minha opinião, nao sou respeitado.

    Se não me engano foi isso aqui que comentei: ” É Interessante como o Hiroshi só sabe criticar. É tanto que nem tomou uma posição a respeito do plebiscito. Criticar é fácil… Agora ir a luta não é pra todos!”

    O meu comentário foi nessa linha e mostrou que a PARCIALIDADE Não prevaleceu.

    • Hiroshi Bogéa

      5 de dezembro de 2011 - 14:04 - 14:04
      Reply

      100% Guerreiro, não surta. Nem estressa. Teu comentário não aportou por aqui, não. Manda de novo. E fica frio, rapá!

  15. Bia Cardoso

    5 de dezembro de 2011 - 12:38 - 12:38
    Reply

    Meu caro Hiroshy,

    Após inúmeras ligações de internautas dando conta de um comentário em seu blog, sobre a manifestação realizada no último sábado por manifestantes do “SIM”, não poderia me abster de fazer alguns esclarecimentos, até pelo fato de ter participado desse ato.

    1- A manifestação que se concentrou na entrada da Marabá Pioneira foi uma iniciativa da comunidade que atua nas redes sociais. Portanto, não foi da classe política e empresarial, algo que revela um novo fenômeno da política, ainda que de forma pequena, mas consistente.
    2- Nossa preocupação não era fazer volume. Nosso pequeno grupo, de maioria jovem, teve a nobreza de contribuir com a causa Carajás e Tapajós, algo semelhante àquela fábula do beija-flor apagando o incêndio, numa marcha que cruzou a Avenida Antônio Maia e terminou em frente ao Palacete Augusto Dias, na Getulio Vargas. Nosso objetivo: dizer ao povo as razões que motivam essa luta.
    3- Quem esteve no comércio da Marabá Pioneira é testemunha da receptividade com que o povo nos recebeu, fazendo questão de deixar o interior dos estabelecimentos comerciais, tomando as calçadas para nos receber de forma calorosa.
    4- Em duas horas e meia, mais de 3 mil adesivos do SIM foram entregues à população.

    Meu caro Hiroshi, podemos até ser taxados de “meia dúzia de gatos pingados”. Somos, sim, aprendizes, numa luta que envolve o destino de um milhão e meio de pessoas que vivem em nossa região. Você, como bom marabaense, tem consciência de como vivemos.

    Como bem dizia Machado de Assis, o velho poeta, “a consciência é o mais cru dos chicotes… e todos nós precisamos fazer esse exame”. Não podemos negar a beleza de uma luta que mesmo desigual, já que somos minoria, não é fruto do acaso mas nasceu do descaso com que, historicamente, tratam as necessidades de nosso povo.
    Ontem, num rápido giro que fizemos pela BR-230, pudemos testemunhar um povo simples, mas, acima de tudo, brasileiro, mobilizado em favor do sonho de criar Carajás e Tapajós. A verdade que salta aos olhos dessa gente é a realidade em que vivem: estradas esburacadas, pontes quebradas, saúde e educação precárias. Quem melhor do eles pode saber sobre que condições querem viver juntos, numa mesma sociedade? A história haverá de julgar nossa causa.

    Bia Cardoso

  16. Eleitor Indeciso

    5 de dezembro de 2011 - 09:49 - 9:49
    Reply

    Pertenço ao PSOL, e até onde sei lá tem gente que vota no sim e gente que vota no não. O PSOL é um partido que sabe usar a democracia em toda sua essência. Os dirigentes da cúpula do partido no Pará podem até orientar seus filiados no sentido de tal voto, mas ao mesmo tempo que fazem isso, abrem espaço para o debate, coisa que não acontece nos demais partidos, e nesses debates cada um diz o que pensa e como fará. Aqui em Marabá o PSOL tem votos para o sim e para o não, e todos convivem harmoniosamente diante disso. Isso é democracia. Bitolar, alienar e obrigar é outra coisa. Sendo assim o eleitorado de Belém que vota no SIM deveria se retirar de lá, como alguns aqui dizem que quem vota no NÃO deveria ir embora de Marabá, já que aqui comem, trabalham, vivem, etc? Menos, menos…

  17. Gente daqui querendo saber....

    5 de dezembro de 2011 - 08:47 - 8:47
    Reply

    Afinal, o que fizeram com o Ribamar?

  18. Aurismar L. Queiroz

    5 de dezembro de 2011 - 08:41 - 8:41
    Reply

    Camaradas,

    Sou do mesmo partido do professor Ribamar, faço parte do diretório municipal desse partido. Isso que dizem que o partido apenas orientou, mas não obrigou. Tanto é que ele defende o NÃO, posição pessoal própria dele. Eu defendo o SIM, posição pessoal própria minha. Pesnso que essa discussão de SIM ou NÃO é acima de tudo um movimento político, não tem como excluir desse processo as orientações partidárias. Mas é claro que o livre arbítrio deve imperar sempre na decisão dem quem quer que seja.

  19. Aurismar L. Queiroz

    5 de dezembro de 2011 - 08:37 - 8:37
    Reply

    Camaradas,

    Sou do mesmo partido do professor Ribamar, faço parte do diretório municipal desse partido. Isso que dizem que o partido apenas orientou, mas não obrigou. Tanto é que ele defende o NÃO, posição pessoal própria dele. Eu defendo o SIM, posição pessoal própria minha. Pesnso que essa decisão de SIM

  20. Anônimo

    5 de dezembro de 2011 - 05:47 - 5:47
    Reply

    Este Psol,numca terá brilho é um partido de pessoas recalcadas.

  21. anonimo

    4 de dezembro de 2011 - 23:53 - 23:53
    Reply

    Poderia dizer Hiroshi: Até tu Brutos?! Até tu Hiroshi engrossa as filas dos que dizem não aos menos favorecido. É uma vergonha!

  22. Capitu, olhos de ressaca.

    4 de dezembro de 2011 - 21:51 - 21:51
    Reply

    Independente do professor Ribamar está seguindo ou não orientação do partido, sua posição deve ser respeitada.
    Somos livres, vivemos em um país que defende com unhas e dentes a liberdade de expressão, então qualquer um pode defender seus ideais.
    O que fizeram com o Ribamar foi humilhante, sem noção. Uma prática que deve ser abominada por todos os marabaenses, do sim ou do não.
    Isso foi bullying, dos mais grotescos.
    Fere a alma de qualquer um.

  23. Anônimo

    4 de dezembro de 2011 - 21:05 - 21:05
    Reply

    Sérgio, o das 17:32 não tenho nada a ver com a sua rivalidade com o Wilsão, acho que o professor Ribamar não tem decisão livre; descobri que o PSOL de Belém, como falou o Dep. Zenaldo, no debate da Record, está aliado ao NÃO, e este partido deu uma orientação para que todos seus filiados votem no NÃO.Penso que essa é uma eleição que nao deveria ter influência partidária, cada cidadão livremente deve opinar e votar no que vc acha que é certo e que vai aliviar sua região dos problemas sociais e econômicos cruciais.Acho que o professor Ribamar ta seguindo as orientações dos dirigentes do PSOL que moram e nasceram em Belém.

  24. Sergio

    4 de dezembro de 2011 - 17:32 - 17:32
    Reply

    Prezado,

    Fiquei pasmo quando soube que este mesmo Wilsão tentou fazer um protesto contra a “manifestação” do professor Ribamar no JN no Ar. Muito incoerente essa tentativa de impedir que as pessoas se manifestem livremente o que defendem.
    Penso que a campanha do SIM perdeu o rumo, agora é tarde Inês é morta. Espero que reavaliem pós 12 de dezembro e não assumam mais este debate de ir contra as pessoas, porque o que tá em jogo são projetos de desenvolvimento.

    Sergio Farias

    • Hiroshi Bogéa

      4 de dezembro de 2011 - 17:37 - 17:37
      Reply

      Concordo com você, Sérgio. Como estava ausente da cidade, somente esta semana irei manifestar minha posição sobre a agressão exercida contra o direito de livre manifestação do citado professor. O que fizeram com ele é atitude totalitária e stalinista.

  25. Aurismar L. Queiroz

    4 de dezembro de 2011 - 16:21 - 16:21
    Reply

    Camarada Hiroshi,

    O grande problema para o movimento do sim, foram os cartolas que tomaram a frente. Gente de péssima indole, que não tem respaldo político e moral nenhum para conclamar o povo para o que quer que seja. Esse tal de Wilson Teixeira, tive o desprazer de conversar, tentar conversar, com ele na época em que estava no poder, só ouvi meio mundo de grosserias; já, caido do cavalo, ele foi tão gentil em uma conversa de rua. Ele quer o que: o poder novamente? Quer se eleger a alguma coisa? Quem sabe ficar na rebarba de algum deputado, senador, ou governador do futuro estado? De graça é que ele não passou por cima de sua arrogância. Sou “separatista” como vocês dizem, mas não como no mesmo prato que essa corja (meu Queiroz não tem nada a ver com os Giovanes e Esmaelkas que andam por ai, que fique bem claro isso).

  26. Diolho Alberto

    4 de dezembro de 2011 - 15:33 - 15:33
    Reply

    “O que carecemos não é de mais estados, mas de políticos com a estatura do Pará. Políticos que pensem o desafio paraense e regional à luz do conjunto dos problemas e dos desafios globais que se manifestam nas singularidades de cada setor e região, com suas carências e anseios sociais legítimos.”

    (Alex Fiúza de Mello)

  27. Edi Vianna

    4 de dezembro de 2011 - 13:47 - 13:47
    Reply

    Deu no MSN

    No próximo domingo, dia 11, os eleitores paraenses votarão em plebiscito sobre a divisão do Pará, criando mais dois novos Estados – Tapajós e Carajás. Qual é sua opinião?
    1.
    18 %
    A favor. Com mais unidades administrativas, o povo será melhor atendido
    1.821 votos
    2. 65 %
    Contra. Não passa de uma manobra para criar mais órgãos e cargos públicos
    6.760 votos
    3.
    17 %
    Não sei, há prós e contras, mas acho que está faltando mais debate no país
    1.798 votos

  28. Edi Vianna

    4 de dezembro de 2011 - 12:02 - 12:02
    Reply

    Caro Hiroshy:
    Não quero aqui neste espaço criar polemica ou chamar atenção de quem quer que seja, apenas gostaria de deixar no ar uma reflexão, para todos os trabalhadores e trabalhadoras deste município no qual resido a mais de 20 anos. Sou belenense, jurunense com muito orgulho. Paraense da Gema e defendo nosso povo onde quer que eu vá, já que em muitos lugares nos tem ainda ignorantemente, como índios e selvagens, o nosso saudoso e querido Renato Russo bradou isso uma vez do alto de sua incompetência sociológica e antropológica e levou além de uma sonora vaia, uma espetacular sandalhada nas fuças. Bem… mas vamos aos fatos.
    Pense um pouco. Por que os movimentos populares que são favoráveis a divisão não se integraram a esta jornada “tão nobre “que é a criação de uma nova unidade federativa que vai trazer o progresso e a tão sonhada participação popular num futuro estado e em um governo mais próximo em tese da grande massa. Sabe por que caro Hiroshy? Por que esses senhores e sinhozinhos da cúpula interburguesa já delimitaram as regras do jogo. O povo não pode participar dessa celeuma toda de forma direta, visto que, no dia seguinte do fato consumado, o dito cujo bateria nas portas dos Sanguessugas querendo a sua parte e isso meu querido, os nossos algozes não querem dar. Olha a cena de ontem:
    Logo pela manhã adentrando a velha Marabá, dou de cara com o “dono da retransmissora da rede TV”, irmão do ex-prefeito de Marabá organizando a carreata. Nenhum movimento popular a vista. Deu no que deu, ninguém apareceu na passeata, ou carreata, sei lá. Fui fazer o pagamento das contas do mês no BB,em seguida fui lanchar com um amigo,sua esposa e filho. Lá vem a dita carreata, ‘Puxando-a’, Wilsão, ex-secretario de cultura de Marabá,na sua época,nunca gostou de povo e de cultura popular que ultrapassasse os muros da folia momesca. Não tenho nada contra ele,só acho que ele não agrega nada,só sabe manipular e ser manipulado.
    Então fica aquela máxima: Diga com quem tu andas que eu te direi quem és. O Povo não é Bobo.
    Bom dia.
    Edi Vianna

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *