Deu piti na advogada

Alberone Lobato, da DECA (Delegacia de Conflitos Agrários),  fazia as últimas perguntas ao repórter Edinaldo de Souza, quando foi surpreendido pelo ingresso à sala da  advogada da Agropecuaria Santa Bárbara,  Brenda Santis, em estado colérico. 

Bastante nervosa, Brenda cobrou as razões que levaram o delegado estar fazendo perguntas em excesso ao interrogado, revelando, principalmente, preocupação com o tipo de questionamento que pudesse levar o repórter a envolver o Grupo Santa Bárbara no inquérito instaurado.  Pela observação de quem estava na sala, deu para perceber a inquietação da advogada com perguntas destinadas a saber quem havia contratado a aeronave, descrição dos armamentos usados pelos seguranças da fazenda Espírito Santo, e se todos estes usavam fardas ou não, durante o conflito.
Mesmo sem ser advogada constituído do  repórter do jornal Opinião,   Santis rodou a baiana. E disse ao delegado Lobato sua disposição de denunciá-lo  à OAB.