Desencantados da vida

Publicado em 7 de novembro de 2008

Sempre solícito e antenado aos fatos de nosso dia a dia, muitos nem sempre comemoráveis, o blogueiro e magistrado trabalhista, José de Alencar, envia e-mail para alguns amigos registrando seu espanto com o aumento da barbárie no Pará.

Acaba de ser assassinado José Francisco, um dos diretores do Grupo Líder.
Belém está ficando insuportável e esse crime – mais um – deixa isso bem claro.
Lamentável que a cidade e o estado se degradem, as pessoas sejam assassinadas e não consigamos fazer uma só mudança para melhor.
E não serve de consolo ser a vítima um integrante da elite local, antes pelo contrário, isso é símbolo da barbárie que já morde os calcanhares da elite.
Quando a barbárie chega, não adiantam as casamatas e as seguranças reforçadas.
Dias piores virão, se nada for feito.
E, lamento, mas nada estamos conseguindo fazer.
Os jornais locais vão continuar vendendo cadáveres, porque cadáveres é o que não vai faltar.
O único otimismo possível é a confiança na nossa condição humana e nossa capacidade de superação.
Espero que todos, as nossas elites principalmente – dirigentes e governantes – percebam que chegamos no fundo do poço e que já está passando a hora de fazer mais do que estamos fazendo.
A voz de Alencar, nessa reação em texto, propaga o sentimento de todos nós.