Hiroshi Bogéa On line

Derretendo alianças

Passadas as repercussões iniciais do fato político de cassação do diploma do prefeito Duciomar, o PTB e o PR, comandados no Pará à mao de ferro pelo próprio alcaide e pelo seu vice, Anivaldo Vale, deverão mesmo seguir outro caminho, distanciando-se de vez do projeto de reeleição da governadora Ana Júlia.

Quem faz essa explanação é importante auxiliar de Duciomar Costa, depois de comunicar o fato, no calor dos últimos acontecimento, à própria governadora, num telefonema recheado de queixas.

Duas situações de conhecimento público emparedaram as lideranças dos dois partidos.

Primeiro, a oposição radical a Administração da capital de vereadores do Partido dos Trabalhadores na Câmara de Belém, envolvidos até os dentes com a movimentação em torno da cassação de Duciomar, em apoio a posse de José Priante.

Outro fato foi o suposto encontro de José Priante com a governadora, depois da sentença da Justiça favorável a cassação do prefeito de Belém.

A conversa dos dois – não confirmada oficialmente pelo Palácio dos Despachos -, foi recebida por Duciomar e Anivaldo como um toque de avançar pelotao. “Se o Priante buscava  validação moral ao fato, a consumação do encontro serviu aos seus propósitos, jamais ao projeto de reeleição da governadora, que tinha entre seus simpatizantes -, o PR e o PTB”, avalia a fonte.

Até agora levadas em ritmo de slow-motion pelo PR e PTB, as conversações com interlocutores do PT estão encerradas. Pelo menos, por enquanto.

“Que diabo de parceiro é esse, supostamente buscando alianças eleitorais, mas que tem entre seus aliados preferenciais duas lideranças (Duciomar e Anivaldo Vale) fustigadas dia e noite pelo Partido dos Trabalhadores”?, pergunta, numa alusao a oposição ferrenha da legenda de Ana Júlia, na Câmara de Belém, ao prefeito municipal.

Post de 

8 Comentários

  1. Levi Menezes

    11 de dezembro de 2009 - 15:35 - 15:35
    Reply

    Estes movimentos todos causam estranheza à quem é acostumado com coronel.

    Duciomar, assim como Jader, tem um histórico que o torna pouco palatável à militância petista da capital, à quem o PT deve parte de suas grandes vitórias.

    Se alguém acreditou que Duciomar conseguiria trocar o voto da bancada petista a favor da privatização do saneamento prla aliança em 2010, fez papel de otário. Não creio que exista no comando da aliança PTB/PR alguém tão tolo assim.

    As forças políticas estão no momento de aglutinar suas tropas, todas estão criando discursos que cristalizam suas bases. Se auto-afirmam, acumulam capital político rumo às composição de 2010.

    A "posse de Priante" serve para enfraquecer a coligação e diminuir suas pretensões na chapa governista. Parte do PT prefere compor com Jader, parte do PT tem medo das pretensões futuras de Jader.

    Aliás, todas as forças políticas tem medo de Jader. Ainda não ouvi de nenhuma fonte confiável a possibilidade dos tucanos – ou pelo menos uma parte deles – compor com Jader na cabeça de chapa.

    À exceção de Vic e do DEM – como não tem nada mesmo, tudo é lucro – nenhuma força política estimula a candidatura própria de Jader. Todos sabem que Jader quer dar seu lugar para o filho, o que implicaria em pelo menos 12 anos de domínio Barbalhista sobre o Pará. Neste meio tempo, grande parte das lideranças atuais terão pendurado as chuteiras.

    Vendo-se assim, as movimentações atuais não são estranhas. São táticas numa guerra maior e de mais longo prazo, onde as forças políticas e os blocos de classe que elas representam estão em movimento, rumo à próxima batalha.

  2. Val-André Mutran

    11 de dezembro de 2009 - 03:21 - 3:21
    Reply

    Sua fonte sabe tudo.

  3. Anonymous

    10 de dezembro de 2009 - 00:16 - 0:16
    Reply

    Se você não entende o problema é seu .Petista é que nem irmão brigam entre si mas se alguém mexer com todo mundo vai pra cima.

  4. Anonymous

    9 de dezembro de 2009 - 23:52 - 23:52
    Reply

    Com o PTB fora da aliança, esvai-se o sonho de Tia Miranda ser candidato a vice d Ana Júlia?

  5. Anonymous

    9 de dezembro de 2009 - 18:59 - 18:59
    Reply

    Veja só; "diversidade ideológica" mais uma invenção do tal de "pt". MAS …É MUUUIIITAAA CARA DE PAU !! ÓLEO DE PEROBA NELE !! Onde já se viu !Pensando que todo mundo é otário ?

  6. Anonymous

    9 de dezembro de 2009 - 17:56 - 17:56
    Reply

    À muitos anos atrás,um politico disse que na política,só não tinha visto "BOI VOAR".Delfim Neto abraçado c/Lula;Lula abraçado c/Collor e Sarney.Tudo é possível…e nós; otários do Norte…voto neles..

  7. Anonymous

    9 de dezembro de 2009 - 17:48 - 17:48
    Reply

    O que os outros partidos não entendem é diversidade ideológica do Partido de trabalhadores ,onde parte da base do próprio partido discorda da maneira com que Ana Júlia vem conduzindo o Governo e faz oposição em certos momentos mas que sem dúvida na hora que o pau pegar vai está todo mundo defedendo o Governo.a Ana Júlia não tem como mandar quem quer que seja deixar de falar mal do Dudu porque corre o risco de também entrar na berlinda. O PT é assim respeita as diversidade e seus militantes nunca se curvariam diante de caprichos de quem possui mandato por entederem que deve ser o contrário os que detém mandato é que precisam da base do partido se quiserem se reeleger.

    Petista desde 1989

  8. Folha de Tucuruí

    9 de dezembro de 2009 - 12:16 - 12:16
    Reply

    A preocupação principal do PT no momento não é a eleição estadual, mantida a cassação de Dulciomar haverá disputa entre Priante (PMDB) e Mário (PT) em novo segundo turno em Belém. Isso explica o telefonema da governadora ao Dulciomar e outras lideranças, o governo estadual quer o apoio do PTB na disputa pela prefeitura de Belém.

    A Governadora e o PT tem a difícil tarefa de disputar a eleição municipal tendo como adversário o PMDB e manter o partido de Jader como aliado na eleição para o governo do estado. Tarefa impossível? Acreditamos que não, afinal na política tudo é possível. A política não obedece a lógica e sim ao jogo de interesses dos grupos políticos, interesses estes que quase nunca (por razões óbvias) são de conhecimento público.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *