Derretendo alianças

Publicado em 9 de dezembro de 2009

Passadas as repercussões iniciais do fato político de cassação do diploma do prefeito Duciomar, o PTB e o PR, comandados no Pará à mao de ferro pelo próprio alcaide e pelo seu vice, Anivaldo Vale, deverão mesmo seguir outro caminho, distanciando-se de vez do projeto de reeleição da governadora Ana Júlia.

Quem faz essa explanação é importante auxiliar de Duciomar Costa, depois de comunicar o fato, no calor dos últimos acontecimento, à própria governadora, num telefonema recheado de queixas.

Duas situações de conhecimento público emparedaram as lideranças dos dois partidos.

Primeiro, a oposição radical a Administração da capital de vereadores do Partido dos Trabalhadores na Câmara de Belém, envolvidos até os dentes com a movimentação em torno da cassação de Duciomar, em apoio a posse de José Priante.

Outro fato foi o suposto encontro de José Priante com a governadora, depois da sentença da Justiça favorável a cassação do prefeito de Belém.

A conversa dos dois – não confirmada oficialmente pelo Palácio dos Despachos -, foi recebida por Duciomar e Anivaldo como um toque de avançar pelotao. “Se o Priante buscava  validação moral ao fato, a consumação do encontro serviu aos seus propósitos, jamais ao projeto de reeleição da governadora, que tinha entre seus simpatizantes -, o PR e o PTB”, avalia a fonte.

Até agora levadas em ritmo de slow-motion pelo PR e PTB, as conversações com interlocutores do PT estão encerradas. Pelo menos, por enquanto.

“Que diabo de parceiro é esse, supostamente buscando alianças eleitorais, mas que tem entre seus aliados preferenciais duas lideranças (Duciomar e Anivaldo Vale) fustigadas dia e noite pelo Partido dos Trabalhadores”?, pergunta, numa alusao a oposição ferrenha da legenda de Ana Júlia, na Câmara de Belém, ao prefeito municipal.