Deputada debate expansão do IFPA

Publicado em 1 de novembro de 2013

 

Quem informa é Tina Santos, da Assessoria Parlamentar da deputada Bernadete ten Caten (PT):

 

A deputada estadual, Bernadete ten Caten, líder da bancada do Partido dos Trabalhadores na Assembleia Legislativa do Estado, esteve à frente de audiência com o reitor do Instituto Federal do Pará (IFPA), professor Dr. Hélio de Almeida Cordeiro. A audiência aconteceu na última quarta-feira (30), na sede do IFPA, em Belém, onde foi discutida a expansão do Instituto para a região sul e sudeste do Pará.

Bernadete convidou para participar do evento os prefeitos e lideranças dos municípios de Bom Jesus do Tocantins, Cumaru do Norte, Itupiranga, Novo Repartimento, Piçarra, Tucumã e Goianésia do Pará. Entre os presentes estavam os prefeitos de Itupiranga, Goianésia do Pará e Piçarra; vice-prefeito de Novo Repartimento; vereadores de Goianésia e Novo Repartimento, além de lideranças desses municípios. Também participaram os diretores do campus Rural de Marabá, industrial de Marabá, Tucuruí e do Polo Vigia de Nazaré.

A deputada fez uma explanação técnica acerca da importância dos cursos técnicos e tecnológicos serem expandidos para a região sul e sudeste do Estado como uma bandeira de luta de seu mandato, não somente por ser professora, mas também porque “a educação tem que ser prioridade em qualquer governo e principalmente nestas regiões, onde ainda é grande a carência de instituições de ensino voltadas à qualificação profissional.

O reitor se colocou à disposição da parlamentar petista e da população local, mostrando aos presentes quais os critérios para os municípios terem o Instituto. Na oportunidade, os representantes dos municípios ficaram com a tarefa de fazer levantamento da necessidade em seus lugares para viabilizar o projeto de implantação dos cursos técnicos nessas cidades, como início da expansão, no sul e sudeste, do ensino técnico disponibilizado pelo IFPA.

Ainda durante a audiência foi entregue um documento com a assinatura dos presentes para o reitor e o mesmo documento deverá ser enviado ao Ministro da Educação. Segundo a deputada, a implantação dos cursos técnicos do Instituto nestas regiões representará não apenas um avanço na educação, como garantirá aos moradores locais, qualificação para serem absorvidos pelo mercado de emprego aberto com os grandes projetos instalados aqui e que carecem de mão de obra, a maioria, atualmente, oriunda de outras regiões do Brasil.