Depósito de escória

O poster mantém postura crítica totalmente desfavorável à atividade garimpeira em Serra Pelada, preservando-se o atual status quo dos chamados líderes da classe.

No meio daquela laia de falsos dirigentes, existem pistoleiros, aproveitadores, malandros e uma infinidade de marginais de diversas estirpes.

Quase todos emoldurados no Maranhão.

Não existe um paraense entre as chamadas lideranças.
Patifes de toda ordem usando seus prepostos na turfa, enquanto, de longe, administram Sodoma.
A ultima da pocilga explodiu nesta segunda-feira, 28, quando o ex-presidente da Cooperativa dos Garimpeiros de Serra Pelada, Josimar Barbosa – preposto de Sebastião Curió -, tentou retornar à vida associativa (depois de expulso da entidade por pressão de outros grupos) sob a guarda de liminar concedida pelo juiz da Comarca de Curionópolis.

O cara – bem feito! -, foi escorraçado da porta da Cooperativa, em Serra Pelada.
Pistoleiros devidamente equipados com suas ferramentas de trabalho saíram à caça do bacurau, que na fuga arrastou também dois Oficiais de Justiça pela estrada afora.

O grupo conseguiu chegar ileso ao km 16, na Pa-150, depois de louca perseguição pela vicinal de Serra Pelada com extensão de 30 km.

Ao ser comunicado do ocorrido, um major da PM deslocou-se com pequeno efetivo até Serra Pelada e, também, nada fez. De quatro, entregou os pontos.

À porta da cooperativa, pistoleiros exibiam suas armas com cara de maus.

À par do escarcéu, o juiz de Curionópolis, desrespeitado em sua determinação, exigiu da PM o deslocamento de policiais acompanhados de oficiais de Justiça para a inserção de Josimar Barbosa.

A PM não foi. E nem vai de novo. Somente com ordem expressa do comando da Polícia Militar.

Sugestão do blog: o governo não deve mandar nada de polícia pro vilarejo de Serra Pelada.
Solução mais prática para resolução definitiva desse faroeste terceiro mundista, é o problema ser resolvido entre os próprios pistoleiros, seus mandantes e aderentes.

Que tal distribuir mais armas a cada um deles e dizer que a exploração do garimpo será dada àquele que sair vitorioso numa disputa à bala?!

Não sobra ninguém da laia!

O trabalho depois e só enterrar a turba.

Entregando-se, posteriormente, o garimpo aos homens e mulheres de bem.