Delegado da PF diz que senador Zequinha Marinho é “financiado por grupos criminosos”

Os assassinatos do jornalista inglês Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira, além de  desnudar uma das regiões mais violentas do país, totalmente abandonada pelas Forças Armadas –  Vale do Javari, no Amazonas, têm provocado debates dos mais variados segmentos, com o aparecimento até de denúncias contra político paraense.

E o personagem é o senador Zequinha Marinho, pré-candidato a governador do Pará.

A história envolvendo a figura foi contada pelo ex-superintendente da PF no Amazonas, delegado Alexandre Saraiva,  que acusa Zequinha Marinho de interferência para liberação de madeira apreendida em Santarém e ser integrante de um bloco de políticos que seriam financiados por grupos criminosos.

A revelação de Alexandre Saraiva ocorreu durante entrevista que ele concedeu a Globo News.

Em determinado trecho do depoimento do delegado da Polícia Federal, ele afirma que não é fácil estar na Amazônia, justamente por causa da interferência de políticos, que são financiados por grupos criminosos.

“Vou dizer nomes: Zequinha Marinho, que estava junto lá com o Ricardo Salles, no dia da Operação Handroanthus, Telmário Mota, Messias de Jesus, Jorginho Melo (de Santa Catarina!), mandou ofício… Carla Zambelli foi lá também, defender madeireiro junto com Ricardo Salles. Nós temos uma bancada do crime. Na minha opinião, de marginais. São bandidos”, denuncia o delegado da PF.

Segundo Saraiva, os criminosos, responsáveis pelo desmatamento na Amazônia e exploração de garimpos ilegais, têm boa parte dos políticos da região Norte no bolso, incluindo governadores, deputados e senadores. “Eu tenho aqui, uma coleção de ofícios de senadores de diversos estados da Amazônia, que mandaram para o meu chefe dizendo que eu estava ultrapassando os limites da lei, que estava cometendo abuso de autoridade. Teve senador junto com madeireiro me ameaçando”, disse.

Segundo o portal O Estado Net., de Santarém, de fato, no dia 31 de março de 2021, o senador Zequinha Marinho esteve na Cachoeira do Aruã, no rio Arapiuns, em Santarém, no oeste do Pará, acompanhando o ex-ministro Ricardo Salles.

“Na comitiva, estava também a deputado Carla Zambelli. Neste dia, a equipe do ex-ministro foi recepcionada por madeireiros liderados pelos parlamentares, que eram os porta-vozes dos supostos donos dos lotes de madeira apreendidos. Antes da viagem para Cachoeira do Aruã, o Ricardo Salles se reuniu em um hotel em Santarém com um grupo de empresários ligados ao setor madeireiro”, esclarece a publicação.

Na foto,   deputado Carla Zambelli, ex-ministro Ricardo Salles e Zequinha Marinho, na comitiva que foi a Santarém.