Hiroshi Bogéa On line

De malas prontas?

Mais uma vez, o secretário de Segurança Pública, Geraldo Araujo, não mostrou a cara em solenidade de entrega de delegacias e viaturas no interior. Na viagem de Ana Julia a Marabá, quem respondeu pela SSP foi o Adjunto, José Sales.

Como já observei há alguns posts, Araújo está em ritmo de desocupar gavetas.

A saída dele deverá ocorrer quando o ministro da Justiça, Tasso Genro, desincompatibilizar-se para disputar o governo do Rio Grande do Sul, entre janeiro e março de 2010 – conforme quer o presidente Lula de todos os ministros candidatáveis para formar imediatamente a equipe que o acompanhará até 31 de dezembro.

O que tem a ver Tasso com a saída de Geraldo Araújo?

O ministro da Justiça levará com ele, para o RS, grande parte dos atuais ocupantes de cargos da Polícia Federal, a maioria gaúchos, especialmente o atual Superintendente do Pará da PF, Manoel Fernando Abbadi, e o diretor da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), Ricardo Balesteri. Fala-se, inclusive, no próprio Diretor-Geral da PF, Luis Fernando.

Com essa migração, cargos importantes da PF ficarão vagos.

Geraldo Araújo já teria sido sondado para mudar-se pra Brasília, onde lhe aguarda função estratégica na organização federal.

Post de 

2 Comentários

  1. Anonymous

    13 de dezembro de 2009 - 23:10 - 23:10
    Reply

    Hiroshy,
    Continuo a perguntar, e ninguém responde, qual foi o grande trabalho do Dr. Geraldo Araújo,a frente da Superintendência da Policia Federal no Pará. Ficou a pensar, se o mesmo, não fosse, Delegado da Policia Federal, não seria Secretário de Segurança Pública. Um verdadeiro fracasso. O que prova que não adianta, ter curriculo bonitinho, se o sujeito, não entender do Problema.
    João Costa.

  2. Val-André Mutran

    11 de dezembro de 2009 - 03:12 - 3:12
    Reply

    Hiroshi o Secretário tem um curriculum invejam, porém, apesar das melhores expectativas do povo paraense, teria se desentendido com a nossa culinária e excessiva pulverização da marginália miúda e dispersa num Estado Continental.

    Não há cursos na PF para tal desafio.

    Há sim, quadros, no próprio Pará, para essa tarefa hercúlea que o ex-Gov. AG continua taxando em sua empáfia como "apenas uma questão de azia, ous sensação… ou o caraio de asa!".

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *