Dario Veloso encaminha carta ao blog explicando sua decisão de entregar-se à Justiça

Blogueiro acaba de receber dos familiares do engenheiro Dario Veloso carta assinada pelo próprio esclarecendo sobre a sua decisão de entregar-se à Justiça.

 

A seguir, a carta em sua integridade:

 

 

Esperei durante um pouco mais de 3 anos que se cumprisse um Mandado de Prisão que foi emitido contra minha pessoa pelo TRF 1 em outubro de 2013.    

Fui condenado pela Justiça dos homens a 8 (oito) anos de prisão em regime semi-aberto por um crime que não cometi. Como sujeito já condenado, assim que soube da existência do mandado, procurei ainda lutar juridicamente contra essa aberração jurídica…entrei com apelações… consegui no STJ uma vitória parcial onde lá, conforme acórdão, reduziram a pena para 5 anos e 4 meses. Afirmo a todos que irei pagar por um crime que não cometi!

Fiquei aguardando o cumprimento do mandado de prisão que, até a presente data não foi cumprido pelas autoridades competentes.

Apelei ao STF onde tive julgamento da ação considerado  improcedente em dezembro do ano de 2016 e a última apelação no TRF1 em março deste ano, também foi negada.

Dessa forma, não tendo como reverter a injustiça a mim impetrada e, cidadão de bem que sempre fui, me apresento para cumprir minha pena perante a justiça dos homens. Tenho minha consciência limpa e tranquila que não cometi nenhum delito.

Nem eu nem minha família, em nenhum momento no exercício de cargos públicos, fizemos uso de ilícitos para amealhar patrimônio e aumentar riquezas pessoais.

Sempre trabalhei com honestidade e ética na profissão de Engenheiro Civil, profissão que muito me orgulho e que sempre foi o meu ganha pão (trabalhei especialmente em Parauapebas onde tive o privilégio de construir a nova prefeitura, a nova câmara municipal, o shopping, dentre outras inúmeras obras e inúmeros projetos).

Cumprirei essa pena injusta mantendo minha dignidade e humildade, acreditando sempre na lei de DEUS, que, onisciente que é, sabe que sou inocente!

A quem me julga de forma errada e me condena, peço a DEUS que os abençoe. A quem acredita em mim e me apoia, eu peço a DEUS que os cubra com sua proteção e bênçãos de prosperidade.

Nunca me escondi da justiça, mantive meus canais de comunicação abertos (celular, redes sociais, …) pois nunca temi a pena de reclusão física, pois compreendo que a verdadeira liberdade está no sentimento de paz de espírito e de comunhão com DEUS.

Vão prender um corpo mas não prenderão a liberdade de idéias e de ideais. Sei agora o significado do ditado popular: “não se jogam pedras em árvores que não dão frutos…”

Quero agradecer o apoio incondicional de meus verdadeiros amigos e de meus familiares que permanecem me apoiando. Àqueles que me abandonaram, quero agradecer pelas lições aprendidas diante da ingratidão demonstrada …

A VIDA É HOJE!!! Terei sabedoria em aprender as boas lições desse novo momento de vida. Pagarei minha pena e, brevemente, liberto dessa injusta punição, retornarei à normalidade da vida com cicatrizes, que irão demonstrar quão forte eu fui em suportar as adversidades e, na convicção de que fui punido por algo que não fiz, continuarei sendo o condutor da minha história de vida!

Obrigado DEUS por minha existência!

Respeitosamente,

Dário Furtado Veloso