Hiroshi Bogéa On line

Curionópolis ganha Tribunal Arbitral

Prefeito Wenderson Chamon (PMDB) confirma, para o próximo dia 15, instalação, em Curionópolis, do Tribunal Arbitral de Conciliação e Mediação.

Com o surgimento da lei de arbitragem, embasados na Lei 9.307/96,  nasceu com ela a chamada “Justiça Cidadã”  destinando mecanismos extrajudiciais de solução de conflitos de forma mais rápida e eficaz,  sem passar por longos e onerosos processos que se arrastam por muitos anos na Justiça Pública.

Órgão de justiça privada, no  tribunal arbitral  a ação não fica sujeita a recursos em instâncias superiores, o que ocorre na justiça pública.

Trocando em miúdos, a decisão na justiça privada é definitiva.

Para um município como Curionópolis cuja população, em sua grande maioria, é formada por pessoas carentes e sem oportunidades, a chegada da Justiça Cidadã será grande aliada de seus moradores.

Post de 

3 Comentários

  1. luciano martins

    21 de agosto de 2011 - 08:18 - 8:18
    Reply

    Parabéns prefeito a justiça arbitral pode fazer a diferença quem dera se todos tomase essa iniciativa.

  2. Ulisses Silva

    12 de fevereiro de 2011 - 15:06 - 15:06
    Reply

    A Justiça Arbitral, ao contrário do que muitos pensam, é uma excelente alternativa para a solução de contendas mais simples. Ora, não há motivo para levar ao Judiciário questões como: briga de galinha, briga de vizinhos, multas de contratos de locação de uma casa. Todas essas lides podem ser resolvidas em um Tribunal Arbitral. Esta é uma solução muito utilizada nos Estados Unidos, e no Brasil ela tem se destacado no Rio Grande do Sul. O problema é que, as pessoas ainda cultivam a cultura de que a solução só está nas mãos de um Juiz togado. E, ao receberem a sentença, quando esta contraria os seus interesses, dizem que a a Justiça não "presta". Então, é melhor resolver de forma pacífica em, digamos, 15 dias, do que "resolver" (e nem sempre resolve) em 5 anos. Parabéns ao município de Curionópolis.

  3. Anonymous

    11 de fevereiro de 2011 - 18:27 - 18:27
    Reply

    Se na justiça a credibilidade anda em baixa, imagine no tribunal arbitral.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *