Hiroshi Bogéa On line

Curionópolis: 50% de reajuste salarial

Wenderson Chamon (PMDB) fecha o segundo ano de sua administração acumulando realizações de toda ordem.

O município de Curionópolis está sendo reconstruído com os parcos recursos da prefeitura municipal.

Dia 31 de dezembro,  mais 7 km de drenagem e ruas pavimentadas serão entregues.

Ao todo, em dois anos, a cidade já recebeu 17 km. Pode parecer pouco, mas para um município de pequeno porte que recebe pouco mais de R$ 10 milhões por ano ( incluindo repasses de ICMS, FPM, ITR, e FUNDEB), é muita coisa.

O poster conhece o nível das gestões municipais do Sul do Pará.

A maioria dos municípios é mal administrada, sucateada, sem o registro de obras mínimas capazes de mudar a vida das populações.

Somando tudo, Curionópolis arrecada menos de R$ 1 milhão por mês.

Os elogios que este blog faz à forma como Chamonzinho administra sua pequena cidade, cercada de problemas por todos os lados – inclusive, a terrível Serra Pelada! -, é um reconhecimento ao que se vê ali.

Qual o prefeito a conceder 50% de aumento aos seus professores?

A prefeitura local acaba de anunciar o revigorante reajuste salarial dos educadores naquela faixa.

Ou seja, o prefeito investe em recursos humanos para tentar mudar o curso da área educacional.

Ele já fez um grande feito ao reconstruir praticamente o antigo Hospital Municipal, dotando- o de modernos equipamentos e médicos. E, o que é melhor para uma comunidade carente como a dele: facilitando o atendimento dos doentes em confortáveis instalações pouco vistas em outras cidades.

É muito gostoso verificar esses ganhos sociais em cidades carentes como Curionópolis. Gostoso porque sabemos que a safra de prefeitos irresponsáveis e salafrários se avoluma a cada período eleitoral.

Chamonzinho é exceção honrosa.

Quem diz  é sua comunidade.

Toda pesquisa ali realizada localiza índices altíssimos de popularidade: 86% da população aprova seu govero.

Post de 

3 Comentários

  1. Anonymous

    15 de dezembro de 2010 - 19:29 - 19:29
    Reply

    Senhor Jornalista.

    Prefiro me reportar sem consignar minha assinatura já que não sou político mas vou fazer um comentário político e dar um testemunho real.

    O prefeito de Curionópolis consegue fazer tantas obras, com poucos recursos como você verdadeiramente diz, porque ele não mete a mão no dinheiro público como faz quase todos os prefeitos do Pará.

    Eu digo isso porque já ganhei duas licitações para obras civis em Curionópolis e não tive dificuldade nenhuma para receber o valor do trabalho nos prazos fixados.

    Sou dono de uma pequena empresa de construção, empregando 38 pessoas com carteira assinada,e que consigo, ao longo dos anos, com muito suor e sofrimento, realizar serviços para algumas prefeituras. Já quebrei e levantei cinco vezes, todas elas vítima do calote dado por prefeitos relapso e preocupados só em roubar as´prefeituras.

    Em 2009 e 2010 ganhei licitação limpa em Curionópolis, como também ganhei três em Itupiranga, municípios para os quais sei que posso trabalhar com segurança porque as obras são pagas religiosamente. Os prefeitos dos dois municípios (Chamonsinho e Benjamin) honram compromissos e nunca pedem comissão aos empreiteiros.

    Não pedem e não deixam que seus secretários chantajeiem os prestadores de serviço.

    Em 2009, eu participei de uma reunião com o prefeito de Curionópolis, juntamente com outros prestadores de serviços, ele pediu a nós que procurassemos cumprir com o que regia o contrato das obras em andamento, respeitando a qualidade do material exigido para que a construção apresentasse soluções satisfatórias para a população. Ele pediu a reunião para deixar claro que não aceitaria serviço porco, e que aquele seria a forma dele trabalhar. Foi quando deixou bem claro, diante de cinco secretários presentes ao encontro, que ele não era prefeito 10%, aqueles que exigem comissão, e que jamais permitiria qualquer auxiliar seu chatagear os empreiteiros, pedindo a todos nõs que levasse pessoalmete a ele denúncia se algum auxiliar praticasse ato de corrupção.

    Eu e os outros prestadores de serviço saimos da reunião aliviados e surpresos com a aititude do prefeito, já que nunca havia presenciado algo parecido em nossas vidas de pequenos empresários.

    É por isso, senhor jornalista, que as obras aparecem em Curionópolis, município como o senhor disse, que arrecada menos de um milhão de reais por mes, enquanto há outras prefeitos que recebem mais de 20 milhoes mes e vivem às moscas por causa da boca grande de seus prefeitos.

    Faço questão de vir dar esse testemunho para se fazer justiça ao trabalho do prefeito de Curionópolis. Por questões comerciais, infelizmente não assinarei meu nome, mas tenha certeza de que quem vos escreve é um homem calejado da vida e que muito sofre para manter sua pequena empresa de pé.

    Muito obrigado, e parabens pelo seu blog que eu gosto de acessar para saber das novidades do Sul do Estado

  2. Wendel Lima Bezerra

    15 de dezembro de 2010 - 12:57 - 12:57
    Reply

    Caros anônimos,

    Acredito que o testemunho do último anõnimo foi simplesmente fantástico; isso só prova que em Prefeituras como a de Marabá, há muita gente ganhando 10% de comissão nos contratos administrativos, pois o dinheiro aqui nunca dar pra nada. Para vocês terem uma ideia a situação, em dois anos do atual governo nós só recebemos 10% de reajuste, sendo 5% em cada ano… Isso sim é um absurdo.

    Caro Hiroshi, gostaria de saber quanto ganhava um professor em Curionópolis antes do reajuste de quase 50% concedido pelo prefeito…

  3. Anonymous

    14 de dezembro de 2010 - 13:45 - 13:45
    Reply

    Caro Hiroshi,

    Você conseguiu sintetizar com brilhantismo a atuação do Chamonzinho como gestor do município de Curionópolis:

    "Chamonzinho é exceção honrosa"

    Parabéns pois a qualidade de seus textos não fica a dever ao PHA conforme seu post: "Faz que vai mas não vai".

    "O encanto das palavras, mais do que sedução, convence." (Hiroshi Bogéa)

    Grande abraço,

    Welney Lopes

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *