Culpando o mordomo

Publicado em 1 de fevereiro de 2011

Professor Alan Souza, blogueiro residente em Brasília preocupado com as coisas do Pará, envia emeio comentando alguns desdobramentos da queda do edifício Real Class:

Amigos blogueiros, estou aqui de Brasília acompanhando o casod a queda do edifício na 3 de Maio. Achei ridícula a matéria do Amazônia jornal sobre o engenheiro residente da obra do edifício Real Class, matéria que procurou levantar a questão da inexperiência do engenheiro (teria apenas 1 ano de formado).

Partir da presunção que pouco tempo de formado significa incompetência e imperícia (afirmação que em si já é um absurdo insustentável), é afirmar que o ensino universitário não serve pra absolutamente nada, o que é outro absurdo maior ainda! A pensar assim, então rasguemos os diplomas e vamos trabalhar só com quem aprendeu na prática.

Falo isso com absoluta tranquilidade, tenho 18 anos de formado, 15 dos quais no Serviço Público, onde já vi muito recém-formado e recém-concursado chegar dando show de bola, em qualidade de serviço, nível técnico e disposição, e também vi muitos vet eranos carcomidos pelos vícios adquiridos com o passar do tempo e emperrando o bom andamento do serviço.

Tenho certeza que o Amazônia jornal emprega estagiários e repórteres recém-formados, e não se pode colocar nesses a culpa pelo fato do jornal ser uma droga. Afinal, a qualidade da publicação depende, em última instância, do “experiente” redator-chefe.