Cuidados que o candidato deve ter para o Enem

Publicado em 5 de novembro de 2014

 

Quem informa é a jornalista Jimena Felipe Beltrão, da Secretaria de Estado de Educação:

———————–

 

O que é permitido e o que o candidato não pode fazer durante a realização das provas, e orientações práticas e estratégias para um bom resultado, são enfatizados por vários educadores para quem vai fazer as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), nos próximos sábado (8) e domingo (09). No Pará são 433.868 inscritos. “Um crescimento recorde de 31,46% em relação a 2013”, informou George Castro, diretor de Ensino Médio da Secretaria de Estado de Educação (Seduc). “Somos o quinto estado onde o número de inscrições mais cresceu”, acrescentou.

A Região Metropolitana de Belém, que além da capital abrange os municípios de Ananindeua, Marituba, Benevides, Santa Bárbara do Pará e Santa Izabel do Pará, concentra quase 50% dos inscritos. Belém tem o maior número de candidatos. “São 132.769 inscritos na capital, seguida por Ananindeua, com 38.517”, disse George Castro. Só em Belém e Ananindeua, 290 escolas serão utilizadas como locais das provas do Enem, em um processo que envolve mais de 14 mil colaboradores somente nos dois municípios.

Orientações – O educador alerta para cuidados que o candidato deve tomar, como estar atento ao horário de início das provas. Os alunos devem chegar com uma hora de antecedência aos locais das provas. No Pará, isso significa chegar às 11 h, devido ao horário de verão. A prova começará as 12 h, horário local no Pará – e 13 h em Brasília (DF).

Os candidatos não podem usar óculos escuros, bonés, toucas ou gorros, e nenhum equipamento eletrônico (celular, ipod, tablet, palmtop), nem mesmo relógio de pulso. Não serão aceitas como identificação carteira de meia-passagem ou a carteira de estudante, mesmo que tenha foto.

Segundo José Ricardo Alencar, coordenador de Ensino Médio da Seduc, “o descanso no dia anterior é essencial. O aluno precisa estar repousado para fazer a prova”. Além disso, George Castro frisou que “é importante visitar o local de prova antecipadamente, para que se estabeleça com antecedência qual o melhor itinerário até o local”.

Os educadores lembram que, na resolução dos itens da prova, “o candidato possui no máximo três minutos para resolver cada item (questão)”. Mas George Castro alertou que, se possível, “é melhor reduzir esse tempo para dois minutos e meio”. Segundo ele, “o candidato deve resolver o conjunto de questões de uma determinada área do conhecimento, para depois passar à seguinte”.

Devido aos níveis de dificuldade dos itens, José Ricardo Alencar orientou que, cada candidato, responda aos itens “mais fáceis”, potencializando acertos e mantendo a coerência. “Reservar tempo para marcar o cartão-resposta é outra das preocupações que o candidato deve ter. Serão necessários de 20 a 30 minutos para concluir a marcação”, disse José Ricardo.

O candidato também deve levar água e um alimento leve para enfrentar as horas de prova. No sábado (8), são 4h30 de prova, e no domingo (09), são 5h30, devido à redação. “A redação precisa ter um mínimo de sete linhas escritas, preferencialmente em letra cursiva”, ressaltou José Ricardo Alencar. A redação não pode ser assinada ou conter símbolos ou códigos de identificação.

O candidato pode apresentar como identificação para realizar as provas do Enem:

– Carteira de Identidade (RG), emitida por Secretaria de Segurança Pública, Forças Armadas, Polícia Militar ou Polícia Federal;

– Identidade expedida pelo Ministério da Justiça, para estrangeiros;

– Identificação fornecida por Ordens ou Conselhos de Classe, que, por lei, tenham validade como documento de identidade;

– Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS), emitida após 27 de janeiro de 1997;

– Certificado de Dispensa de Incorporação;

– Certificado de Reservista;

– Passaporte;

– Carteira Nacional de Habilitação (CNH) com foto, na forma da Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997;

– Identidade funcional em consonância com o Decreto nº 5.703, de 15 de fevereiro de 2006;

Em caso de perda, extravio, furto ou roubo de documento de identificação, o participante deve apresentar o Boletim de Ocorrência (BO) com data de, no máximo, 90 dias antes da data da prova.