Hiroshi Bogéa On line

CT defende lisura da pesquisa Ibrape

 

 

Nota de esclarecimento da direção do Correio do Tocantins defende a lisura da pesquisa realizada pelo instituto do Mato Grosso,  cujo texto assinado pelo jornalista Patrick Roberto, diretor de Redação,  será publicado a partir da zero hora desta quarta-feira, 11, abrindo a sequencia de posts do dia.

Post de 

8 Comentários

  1. ANdre

    11 de abril de 2012 - 18:49 - 18:49
    Reply

    Caro Dr Plinio,
    Acho que nehum de nós aqui está acusando o jornal em questao de usar de mecanismos para manipular uma pesquisa. Todos sabemos da seriedade das pessoas que estao a frent, em principal a familia Mascarenhas.

    Quanto ao Instituto do MS responsavel pela pesquisa, assim como a metodologia, este sim, estamos contestando pacificamente.

    Parece que o sr ainda nos acha provicianos. somos filhos de Deus, por isto temos conhecimento e sabedoria. este o sr sabe é o povo de Deus, que O teme.

    Agora fazer apologias a este ou aquele sem conhecer a problematica que isto gerou e que pode ainda gerar em termos de multas é ser muito inocente.

  2. Anônimo

    11 de abril de 2012 - 17:55 - 17:55
    Reply

    Se Vc você o Chefim é fisessem pesquisa para ver o potêncial dos candidatos a Vereador.entrevistasse o povo da Marabá Pioneira,Nova Marabá,São felix,Morada nova,amapá,vila tainópolis,escada alta,coca cola,bairro araguaia.o Homem não apareceria nas pesquisa. mais se encluirem,Liberdade e indepêndencia será completamente diferente.o que muitos discordam e tem o enterese de saber são os locais que foram feitas a pesquisa.para que o povo saiba quem foi beneficiado e quem foi prejudicado.Marabá e praticamente 3 cidades,e com demandas diferente.

  3. Fernando Ribeiro

    11 de abril de 2012 - 12:31 - 12:31
    Reply

    Quanta bobagem escrita por aqui hein. Besteira contestar essa pesquisa por aqui e besteira o jornal responder também.
    Entendi o que o sr. Patrick disse e comprovei vendo o vídeo pelo youtube do jornal nacional informando que em uma pesquisa de caráter nacional, avaliando a presidente Dilma, foram entrevistadas pouco mais de 1000 pessoas.
    Pesquisando no site do TSE sobre pesquisas da Prefeitura de São Paulo, por exemplo, vi que institutos como o DataFolha, Ibope e Vox Populi entrevistam também pouco mais de mil pessoas.
    Por que uma pesquisa em Marabá, num universo de 130 mil eleitores não pode entrevistar 370? Não sei se nesses casos funciona proporção, mas se for esse o cálculo, entrevistaram foi muitas pessoas.
    Mas voltando a besteira que falei no início, se os senhores estão incomodados, porque não contestam a pesquisa nos locais de direito, ou seja, na justiça?
    E o jornal não precisa ficar se explicando. Deve se explicar só se for contestado pela justiça. Acredito na idoneidade do jornal e acho que não precisa descer ao nível desses “entendidos” que escondem a própria identidade.
    Por que só o jornal expõe sua cara a tapa? Se os senhores que contestam são tão entendidos mesmo, desafio que coloquem aqui o nome completo, e-mail e CPF para sabermos se existem mesmo. Acho que o jornal ou deveria responder só na justiça, ou se ao menos soubesse com quem está falando. Esses aí devem ser mais uns dos muitos “Zé Manés” que aparecem só pra agitar…
    …e fazer a gente rir muito.

  4. Plinio Pinheiro Neto

    11 de abril de 2012 - 08:01 - 8:01
    Reply

    Caro amigo Hiroshy Bogea.

    Pelo que se observa, a pesquisa obedeceu a parâmetros normais e coerentes para tal tipo de trabalho e o jornal “Correio do Tocantins” tem um nome e uma tradição, alcançada ao longo do tempo, com muita luta e dedicação, que não seriam desperdiçadas pelo simples intuito de falsear uma pesquisa, antes mesmo do incio da campanha eleitoral, quando muitas ainda virão, até o dia fatal.Este é o quadro atual, verdadeiro, dentro do universo em que a pesquisa se desenvolveu e, embora o tempo já seja exíguo, sobretudo para quem está no poder, pode haver conserto.

  5. Anônimo

    11 de abril de 2012 - 00:40 - 0:40
    Reply

    Ei anônimo dos três primeiros comentários.. Não tenha esperanças meu amigo e nem tente tampar o sol com a peneira ou fingir que não vê a realidade. O Prefeito Maurino e considerado por mais da metade de Marabá como o pior prefeito da história. Zona rural não tem esse tanto de eleitores que vc ta dizendo não e mesmo que tivessem não estariam satisfeitos. Até porque a saúde, educação, merenda escolar e muitas outras coisas em Marabá pioraram.

  6. Anônimo

    10 de abril de 2012 - 21:53 - 21:53
    Reply

    As pessoas nas ruas não estão criticando a lisura da pesquisa,só acham que deveriam ser feitas em locais destintos e com mais entrevistados porque isto é muito sério que podem enfluenciar em uma eleição.

  7. Anônimo

    10 de abril de 2012 - 21:41 - 21:41
    Reply

    O povo só quer saber a onde foi feita esta pesquisa.para quem conhece Marabá a dúvida é dos 6% pontuação muito baixa indicada para Maurino. é porque não foi feita na Zona rural e nas areas de ocupação urbana.só no centro da cidade.não é a mesma realidade das outras localidades.o desgaste que Maurino tem no centro é o que o Tião tem na zona rural,e nas aréas de ocupação urbana.somanda as 11 ocupações que Maurino puxou a responsabilidade para a prefeitura é esta regularizando é em breve colocando iluminação Pública,e pavimentando as areas a onde ira passar os novos onibús.somadas estas localidades mensionada são aproximadamente 50 mil eleitores.é poderá alterar pesquisa e até mesmo uma eleição.

  8. Anônimo

    10 de abril de 2012 - 21:19 - 21:19
    Reply

    O povo só quer saber a onde foi feita esta pesquisa.para quem conhece Marabá a dúvida é da baixa pontuação de Maurino é porque não foi feita na Zona rural e nas areas de ocupação urbana.só no centro da cidade.não é a mesma realidade das outras localidades.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *