Crime macabro em Ourilãndia: menor mata a mãe, e não deixa cúmplice salvar a irmã que estava no ventre

Publicado em 23 de janeiro de 2013

 

 

Quem narra a tragédia macabra é Paulo Francis, direto de Ourilândia do Norte:

——–

            Na tarde desta segunda-feira 22, o delegado de policia civil de Ourilandia do Norte José Carlos convocou a imprensa para apresentar os autores da morte da empresária Mônica Soares da Silva, de 35 anos (foto),  morta na última sexta-feira 18, as 19 hs, com nove golpes de facão no pescoço. Na ocasião, foram apresentados o jovem Davi Jaques Vasconcelos de Almeida, de 18 anos e o filho da vitima o menor R.R.S,  16 anos de idade.

Monica em vida morta pelo proprio filho arquivo da familia

            Conforme as provas e o depoimento prestado por Davi, o filho da vitima teria lhe contratado por cerca de dois mil e quinhentos reais para tirar a vida de sua genitora. Davi contou em entrevista a imprensa que o crime teria sido praticado no inicio da semana passada, mas não havia dado certo por não ter conseguido entrar na residência da vitima.

Na ultima sexta-feira 18, o menor chegou com sua mãe em sua moto na residência, sendo que Davi estava nas proximidades da casa, esperando o momento em que o filho da vitima lhe colocaria no interior da casa sem Monica perceber. O R.R.S deixou sua mãe no quarto tomando banho e voltou para o portão da frente da casa onde o abriu, deixando Davi entrar e se esconder nos fundos.

O criminoso cita com riqueza de detalhes que antes do crime falou para R.R.S que não teria coragem de tirar a vida de sua mãe, momento em que o menor teria lhe afirmado que ele mesmo faria o serviço. Ficando Davi encarregado de segurar sua mãe quando a mesma entrasse na lavanderia. Quando a vitima chegou ao local combinado Davi a rendeu, pegando-a por trás e segurando seus braços enquanto o filho da vitima puxava o facão da mochila de Davi e lhe desferia o primeiro golpe de frente, perfurando a nuca de sua mãe momento em que quase acertou a face de seu comparsa.

Segundo Davi depois do primeiro golpe a genitora do menor teria perguntado ao filho o porque daquilo, e perguntado a seu comparsa porque estavam fazendo aquilo, o mesmo respondeu que estava sendo pago pelo seu filho. Nesse momento a mãe do assassino teria recebido outra facada no pescoço e caindo no chão, enquanto que seu filho ficou ajoelhado em cima de seu corpo desferindo outras facadas no pescoço até sua ultima respiração.

            O cúmplice do assassino cita que ficou andando no quintal enquanto o filho terminava de matar a própria mãe que estava grávida de sete meses. Davi frisa que teria pedido ao menor para deixa-lo tirar a criança, mas o menor não o permitiu.

Depois do crime, o filho da vítima se lavou, guardou as suas roupas sujas de sangue na moto, pegou a bolsa e o celular de sua mãe, além da quantia de quinhentos reais. E em seguida, vestiu outra roupa, se perfumou e saiu da casa deixando o comparsa no local. Davi cita que após a saída do assassino, fugiu pelo muro dos fundos da casa levando consigo a arma do crime  (um facão afiado que jogou em um matagal), e uma copia das chaves da residência que eram do menor.

Em seu depoimento, e na entrevista, Davi disse que o objetivo do filho era de ficar com a herança da venda de uma casa, o equivalente a R$ 50 mil que estão depositados em uma conta poupança, aberta pela vítima no nome do filho. 

O cartão da conta estava com o menor, mas já foi apreendido pela policia. E a arma do crime foi recuperada pela policia após Davi levar os policiais ao local onde jogou a arma.

O delegado José Carlos relatou, no final da coletiva, que Davi já havia pesquisado toda a vida da vítima pelas redes sociais,  sabendo que ela estava grávida, onde morava, com quem andava, hora de saída e chegada. Apesar do filho ter lhe repassado muitas informações, o delegado deixou o alerta. “Não coloquem tudo da vida de vocês no Facebook, é um perigo”, finalizou o delegado.

A apreensão do menor – O adolescente foi localizado pelos policiais, na manhã de domingo, em uma churrascaria, na vizinha cidade de Tucumã, a 8 km de Ourilândia do Norte.

No local, ele almoçava com a namorada, no mesmo horário em que ocorria o velório da vítima.

A detenção do rapaz ocorreu após testemunhas terem identificado o filho de Mônica da Silva, como a última pessoa que esteve no local do crime, junto com outra pessoa. A vítima foi morta por volta de 19h, de sexta-feira, mas o corpo só foi localizado, já por volta de 22h, pois o atual namorado de Mônica saiu à procura dela,  já que não conseguia localizá-la no celular.

No depoimento, o filho da vitima nega que a matou,  e que teria contratado o amigo para apenas roubar a sua mãe.

E disse ficou surpreso quando soube que a sua mãe havia sido morta.

Para a policia, não há dúvidas: o filho da vitima  é o autor das nove facadas que tiraram a vida da mãe,  e da  sua irmã que estava no ventre.  

Os policiais civis Moia e Chicao. No meio, Davi e o menor R.R.S que matou a propria mãe em Ourilandia
Os policiais civis Moia e Chicao. No meio, Davi e o menor R.R.S que matou a propria mãe em Ourilandia