Hiroshi Bogéa On line

Criatividade na aldeia

Desde que a crise apontou, em setembro de 2008, o empresário Italo Ipojucan começou a perceber que sua empresa poderia ser afetada pelas turbulências. Dono da Lokar, uma das maiores locadoras de carros do Pará, o empresário sentiu que o caixa poderia ficar mais magro do que deveria, e a companhia acabaria tendo dificuldades para investimento. Foi quando decidiu bater na porta da Vale do Rio Doce. A Lokar é parceira da Vale no Nordeste e, se a locadora passasse a prestar um serviço de pior qualidade, a principal afetada seria a mineradora.

Ipojucan soube, então, de um programa da Vale chamado Inove, lançado no fim de 2008 e que conta com frentes de incentivo aos fornecedores – de linhas de financiamento de capital de giro a ações de capacitação e qualificação, com apoio de bancos. “No começo do ano consegui captar por meio do programa cerca de R$ 1,2 milhão no Banco do Brasil, a uma taxa de juros de 1,25% ao mês, bem abaixo dos 2% que pagaria no mercado naquele período conturbado”, conta Ipojucan. Sua empresa conta com 420 veículos e tem mais de 15 anos no segmento.

Em parceria com instituições financeiras, o programa começou a ser planejado pela Vale no início de 2008, antes de crise, portanto. Agora, tornou-se vital para os pequenos parceiros da empresa. “Nesse modelo de operação, a Vale entra como a garantidora do financiamento. Com isso, para o banco, o risco chega a ser de 50% a 60% menor do que se fizesse a operação com as empresas”, conta Daniel Saldanha, gerente geral de suprimentos da Vale.

O programa Inove já beneficiou 26 fornecedores, somando R$ 11 milhões em valores liberados pelos bancos. A Vale possui cerca de 6,5 mil fornecedores ativos. A empresa informa que pelo menos mil deles são “totalmente elegíveis”.

Andrea Guimarães, repórter do Valor Econômico, de São Paulo, inicia seu artigo citando oportuna estratégia do empresário Ítalo Ipojucan, superintendente do SEBRAE e secretário de Indústria e Comércio de Marabá, para enfrentar a redução de demandas nos negócios. Mais aqui ou somente para assinantes, aqui.
Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *