Hiroshi Bogéa On line

Cresce índice de vítimas fatais no trânsito de Marabá

 

 

Embora exista dificuldade em quantificar acidentes e vítimas fatais do trânsito no Brasil, a Prefeitura de Marabá, intermediada pelo Departamento de trânsito (DMTU), é um dos poucos municípios do Pará que faz esse levantamento estatístico. Na sexta (25), foi divulgada uma parcial das ocorrências de acidentes (janeiro-novembro) e totalização de vítimas de trânsito (janeiro a dezembro) no município, referentes ao ano 2012, que aponta crescimento de vítimas fatais em 23,66%, superior ao ano de 2011.

O relatório não revela a quantidade de veículos que circulava em Marabá no fim de 2011, mas se supõe que o aumento dos acidentes esteja próximo ao crescimento da frota. Marabá encerrou 2012 com 74.336 veículos de placas locais, que somados aos licenciados em outros estados da federação, pode chegar a 100 mil veículos em circulação.

Período/Ano  Qd Acidentes
2009 724
2010 875
2011 871
2012 775
Fonte: DMTU e PRF

 

Números de vítimas fatais de acidentes de trânsito ocorridos em Marabá no período de 2009 a 2012:

 

Período/Ano  Vítimas fatais
2009 73
2010 79
2011 93
2012 (total) 115
Fonte: CPCRC/IML

 

O DMTU ressalta ainda que em 2012 cerca de 36% dos acidentes envolveram motocicletas/motonetas, sendo que as informações estatísticas ora apresentadas estão sujeitas a modificação, haja vista restarem dados estatísticos complementares a serem prestados pela Polícia Rodoviária Federal.

Post de 

2 Comentários

  1. Hiroshi Bogéa

    28 de janeiro de 2013 - 17:12 - 17:12
    Reply

    Jorge, não posso postar um comentário com esse tipo de acusação. Qual a prova que você me fornece para respaldar a “comercialização” de CNH pela pessoa citada? Assim fica difícil, querido. Só o blog ficar com o ônus da prova?

  2. Marcus

    28 de janeiro de 2013 - 15:48 - 15:48
    Reply

    Olha Hiroshi, o grande problema no trânsito de Marabá é a falta de preparo dos seus motoristas. E parte da culpa disso está no comércio de CNH, que todo mundo sabe que existe, mas, não sei por qual motivo, se faz vista grossa. Costumo dizer que o motorista de Marabá é um “analfabeto funcional”, por que ele não sabe olhar para uma placa de sinalização e entender o que ela quer dizer (ou finge que não sabe). Aí depois vem a imprensa dizendo “Mais uma morte no violento trânsito de Marabá”…alguém já parou para pesquisar quais são as causas da “violência” do nosso trânsito???

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *