CPI à vista

Publicado em 25 de setembro de 2007

Se depender do deputado João Salame, o TCM continuará sendo investigado. Além dos rastros bem definidos deixados por auditores corruptos em suas andanças pelo interior do Estado, a bagunça instalado no interior do tribunal pode ser medido, em plena extensão, com a entrega de documentos da Câmara Municipal de Marabá como se fossem da Câmara de Barcarena. Este fato gerou transtornos e suspeitas de que os vereadores marabaenses estariam recebendo propina de terceiros.
João Salame analisará a estratégia mais correta para encarar o problema, mas não tem dúvidas de que uma Comissão Parlamentar de Inquérito é o caminho mais prático.