Hiroshi Bogéa On line

Cosipar se manifesta à decisão

Através de sua Assessoria de Imprensa, a Cosipar acaba de fazer esclarecimento a respeito da decisão da Companhia Vale do Rio Doce em suspender o fornecimento de minério de ferro. Diz a nota:

“A Cosipar informa que foi comunicada no final da tarde do dia 21 de Agosto de 2007 pela Companhia Vale do Rio Doce da rescisão unilateral do contrato de fornecimento de minério de ferro a partir de 01 de setembro de 2007.

A Cosipar emprega diretamente 949 trabalhadores que estão com salários e encargos sociais rigorosamente em dia, respeitando a legislação trabalhista. A Empresa também exige a mesma conduta por parte de seus fornecedores. Como signatária do Instituto Carvão Cidadão realiza auditorias regulamente nas carvoarias para verificação das condições das estruturas e quanto ao registro em carteira de trabalho e as condições de higiene e segurança do trabalho.

Em relação à Ação Civil Pública do IBAMA mencionada em nota pela CVRD , a COSIPAR não foi citada pela Justiça Federal.

Sobre as fiscalizações mencionadas, a COSIPAR está recorrendo no âmbito administrativo sem qualquer conclusão do órgão. Com a decisão do Ibama de levar a questão para a esfera judicial, a Empresa vai apresentar sua defesa quando for formalmente citada por determinação judicial, fato até o momento não ocorrido.

Ao contrário do que aponta o Ibama, o consumo de carvão vegetal da Cosipar não corresponde aos números levantados. Nesse sentido a Empresa está esgotando todos os meios de defesa administrativa, demonstrando que a metodologia é errônea pelos seguintes motivos, a saber: o índice de conversão utilizado pelo Ibama esta inadequado; não leva em conta os projetos de reflorestamento implantados pela empresa, o carvão vegetal oriundo de reflorestamento; o uso de novas tecnologias que reduzem o consumo de carvão vegetal como a utilização de sinter na carga metálica, a injeção de finos de carvão pulverizado; a substituição de 12% do carvão vegetal por coque metalúrgico, como também em nenhum momento são consideradas as ações implementadas do Plano de Auto-Sustentabilidade Ambiental 2005-2015, aprovado pelo Conselho de Administração da COSIPAR, apresentado ao Ibama e em execução.

A Cosipar afirma que está REGULAR perante os órgãos ambientais Federal e Estadual e que acredita no entendimento com a CVRD para manter o seu relacionamento comercial existente há 21 anos.

A Cosipar reafirma que está compromissada com as autoridades federais, estaduais, municipais e órgãos não governamentais na implementação de políticas que assegurem a sustentabilidade ambiental e social da empresa”.

—————
Nota do blog: A Usimar até o presente momento não se manifestou sobre a questão.
Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *