Contrato de “improdutividade”

Publicado em 6 de junho de 2011

 

Até agora, os dirigentes dos dois clubes tradicionais do Pará (Remo e Paysandu)  haviam provado que são realmente incompetentes ao cubo.

Mas nesta segunda-feira, 6,  recomenda-se listar a essa triste biografia de desmandos o absurdo dos desatinos.

O Remo, através de um de seus diretores, acaba de “inovar”, ao declarar que o setor jurídico do clube decidirá se “os jogadores terão de pagar alguma multa ao clube”, por deficiência técnica.

Ou seja, tenta-se repassar aos atletas a incompetência dos gabirus.

Ora, bem ou mal, jogadores são protegidos pela legislação trabalhista.

Quem deveria pagar multas, ou, em caso mais extremo, obrigar a devolução de recursos aos cofres do clube, são os dirigentes de Remo e Paysandu, habituados a contratar aos montes  a pior  catrevagem disponivel no mundo de boleiros.

Definitivamente, esse pessoal que gerencia os clubes “maiores” do Pará não tem condição de dirigir nem time de pelada de subúrbio.