Contas da prefeitura de Parauapebas

Dois comentários publicados no blog trazem à tona o que antes era apenas disse-me-disse nas esquinas de Parauapebas: substituição do atual Procurador-Geral do município, Hernandes Margalho; e gestão fiscal da prefeitura em estado de descontrole.

A demissão do poderoso Hernandes Margalho estaria ligada ao excesso de otimismo da procuradoria-geral em garantir ao prefeito Darci Lermen (PT) o comprometimento da capacidade de endividamento da prefeitura por conta de royalties devidos pela Vale, num montante próximo a R$ 600 milhões (segundo cálculos divulgados).

Conforme revela comentarista, “o prefeito responsabiliza o procurador pela expectativa gerada, já que o alcaide, acreditando na orientação jurídica do procurador, anunciou e contratou várias obras confiando na grana da Vale”.

Comerciantes e prestadores de serviços de Parauapebas evitam falar abertamente, temendo represálias, mas muitos fornecedores estariam em vias de desespero pelo atraso do pagamento de vendas e serviços efetuados às diversas secretarias.

Desde quinta-feira última, o blog aguarda o envio de relatório encomendado a uma entidade local sobre o passivo real do poder público junto aos fornecedores, que segundo voz corrente estaria superando ao expressivo valor de R$ 50 milhões.