Considerações sobre a cultura da roubalheira

Publicado em 31 de janeiro de 2012

 

 

Ghyslaine Cunha, colaboradora do blog, emite opinião no status de seu Face sobre a denúncia de fraudes e desvios na Assembleia Legislativa envolvendo ex-presidentes e o atual da AL:

 

1) É fundamental que tudo seja rigorosamente apurado, que os verdadeiros culpados sejam punidos e que o dinheiro desviado retorne aos cofres públicos, sendo assim: o MP está cumprindo seu papel e está de parabéns!

2) Quem tem que devolver o dinheiro aos cofres públicos não é o Banpará, porque aí o dinheiro público seria duplamente roubado do povo. Quem tem que devolver o dinheiro aos cofres públicos são os corruptos que se beneficiaram, os que desviaram os recursos.

3) É preciso fazer uma diferença entre os corruptos poderosos, que deram as ordens, e o bancário do Banpará, que recebeu e cumpriu as ordens, pelos motivos já fartamente expostos: assédio moral e comando de todos os poderes dentro do Banco e da ALEPA, quando o bancário coordenava o posto, e tudo o que fez ou deixou de fazer teve a anuência da direção da ALEPA e do Banco, conforme o próprio bancário deixou claro à imprensa e ao MP; porque senão esse bancário, que mora num casebre em Ananindeua e nem carro próprio possui, vai ser queimado na fogueira por ter obedecido ordens superiores, ainda que ordens não escritas. E tem um detalhe: como é um ferrado, o fogo sob seus pés arderá e subirá bem mais rapidamente do que sob os pés de ouro podre dos poderosos. Aí, estaremos alimentando uma injustiça, quando o que queremos é uma verdadeira justiça. Que paguem os culpados, os corruptos e não o bancário. E que paguem com o dinheiro usurpado do povo, e não com o dinheiro do Banpará!

 

Nota do Blog: o poster comunga mesma opinião de Ghyslaine, adiantando apenas não entender como ainda parte da população investe pesado, eleição após eleição, no que há de mais podre na política do Estado.

Os verdadeiros representantes da roubalheira paraense, no olho do furacão.